Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In

Biotecnologia

:

Tecnologia Optimum® Intrasect®

Registre-se para receber informativos DuPont Pioneer!

Tecnologia Optimum® Intrasect®

A tecnologia
A tecnologia Optimum® Intrasect® oferece  benefícios adicionais obtidos pela combinação de duas diferentes proteínas Bt: a Cry1F e a Cry1Ab. Esta combinação de duas diferentes proteínas, traz ao mercado um maior espectro de controle de lagartas que atacam a cultura do milho. A tecnologia foi obtida por cruzamento convencional das tecnologias individuais, sendo caracterizada como uma combinação de eventos.
 
A tecnologia Optimum® Intrasect®, como todo novo produto da Biotecnologia Agrícola, foi submetida à aprovação da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, formado por especialistas de diversas áreas da ciência e representantes de diversos órgãos governamentais, que atestou sua segurança para saúde humana e animal, bem como para o meio ambiente.

Recomendações
As recomendações de manejo permanecem as mesmas já conhecidas para os produtos que contêm apenas uma proteína: utilizar o Tratamento de Sementes Industrial, que controla pragas não atingidas pelo Bt tais como os percevejos e associar a essas tecnologias, um correto manejo de insetos na palhada pré-plantio, o que aumenta a probabilidade de sucesso na produção. Também não se pode deixar de fazer o monitoramento constante da lavoura para verificar a presença de insetos e danos nas plantas e, caso seja identificado um nível de dano econômico, fazer uso de inseticidas químicos devidamente registrados para esse uso junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Para a preservação da eficiência da tecnologia, também não podemos esquecer as medidas de manejo da resistência de insetos aos métodos de controle. No caso do milho Optimum® Intrasect® recomenda-se o uso de uma área de refúgio equivalente a 5% (cinco por cento) da área total plantada, em distância não superior a 800 metros.

Além das duas proteínas Bt, o milho Optimum® Intrasect® ainda tem ferramentas que auxiliam no melhor manejo das plantas daninhas. Uma delas é a tecnologia LibertyLink® de tolerância a herbicidas formulados com Glufosinato de Amônio presente no milho Herculex® I. A outra tecnologia que poderá ser incorporada como ferramenta adicional é a tecnologia Roundup Ready de  tolerância aos herbicidas Roundup, aumentando ainda mais o espectro de controle das plantas daninhas.

A DuPont Pioneer monitora ativamente a performance de seus produtos, e recentemente confirmou o desenvolvimento de resistência de lagarta do cartucho do milho (Spodoptera frugiperda) à proteína Cry1F em populações coletadas a campo. Pelos dados disponíveis atualmente, podemos inferir, que existem populações de lagarta do cartucho do milho resistentes à proteína Cry1F nas principais áreas produtoras de milho do Brasil.

O histórico biológico do manejo de pragas demonstra que as pragas possuem uma habilidade comprovada de superar mecanismos de controle incluindo tecnologias e práticas culturais. Isso requer que sejam utilizadas várias ferramentas de manejo para o controle de pragas. O monitoramento, a aplicação de inseticidas e o manejo efetivo durante a safra é tão importante agora quanto era no lançamento da tecnologia Bt.

A lagarta do cartucho é um inseto de alta mobilidade e os adultos podem se movimentar longas distâncias nas correntes de vento. É muito importante o monitoramento da performance das tecnologias e o manejo apropriado das pragas antes que ocorra o dano econômico. O uso de aplicações de inseticidas quando os níveis de dano forem atingidos é essencial, e a época e qualidade dessas aplicações é fator crítico para o controle da praga e a manutenção da produtividade.

Outras práticas de manejo de insetos também devem ser aplicadas para aumentar a eficácia do milho Bt, e o controle de insetos:
- Dessecação antecipada, eliminando as plantas daninhas e plantas voluntárias;
- Monitoramento, e quando necessário a aplicação de inseticidas no pré-plantio; 
- Uso de tratamento de sementes com inseticidas, visando o controle da lagarta do cartucho;
- Monitoramento, e em caso de danos, aplicação de inseticidas foliares;
- Plantio de áreas de refúgio, próximas à área plantada com o milho Bt, nos percentuais recomendados.

Os híbridos com a tecnologia Herculex® I continuam a oferecer controle efetivo contra um amplo espectro de pragas, e quando combinados com as melhores práticas de manejo, permitem que os produtores atinjam o potencial genético dos híbridos de nossa base de germoplasma de alta produtividade. Como mais uma forma de auxíliar o produtor, a DuPont Pioneer disponibiliza o Guia de Uso de Produtos, onde detalha os pontos que devem ser cuidadosamente observados antes do plantio de lavouras com híbridos transgênicos.  

Híbridos marca Pioneer® com a tecnologia Optimum® Intrasect®

Os híbridos da marca Pioneer®, que trazem a tecnologia Optimum® Intrasect®, serão identificados pela combinação de letras YH quando a combinação for constituída pelas tecnologias Herculex® I e YieldGard®, ou pelas letras YHR quando a combinação for formada pelas tecnologias Herculex® I,  YieldGard® e Roundup Ready . As letras sempre ficarão após o seu respectivo número num tamanho 40% menor do que os números. Veja os exemplos: P1630YH ou P1630YHR.
 
 
 
  
 
Norma de Coexistência
Da mesma forma que com outros milhos geneticamente modificados, no uso do milho Optimum® Intrasect® é fundamental observar a norma de coexistência entre milho convencional e milho transgênico, estabelecida pelo Governo Federal (Resolução Normativa nº 4 da CTNBio). Ela estabelece as distâncias que devem ser observadas entre seu campo de milho geneticamente modificado (Bt ou outras tecnologias) e o campo de milho convencional do seu vizinho. É importante ressaltar que essa prática não tem nada a ver com segurança do produto, atestada por sua aprovação para uso comercial e, sim, simplesmente respeitar o direito do vizinho de não ter seu milho polinizado por plantas de milho transgênico.

A norma prevê apenas o isolamento por distância, sendo que os campos devem ser separados por cem metros de distância, ou alternativamente por 20 metros, caso se coloque uma bordadura de dez linhas de milho convencional, de mesmo porte e ciclo do híbrido, contendo a tecnologia Optimum® Intrasect®. Essa bordadura pode contar como área de refúgio, desde que atenda ao tamanho de área necessário. Importante ressaltar que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento está fiscalizando a adoção das medidas de coexistência.