Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Artigos

Artigos

30/08/2011

Investindo estrategicamente para melhor atender ao mercado

Em um país com as dimensões continentais como é o Brasil, com os seus 8.514.876 Km2 de superfície, área cultivada de aproximadamente 70.000.000 hectares na última safra e com um imenso potencial agrícola a ser explorado, as questões de infraestrutura e logística das empresas produtoras de insumos agrícolas são cada vez mais decisivas para atender à demanda crescente dos empresários rurais.

Com o agronegócio cada vez mais intenso, em que se colhe uma cultura e se planta outra na sequência, a exemplo da soja e milho safrinha, planejamento e tempo passam a ser primordiais para o sucesso do setor. Assim, as empresas devem estar estrategicamente preparadas dentro do conceito de cadeia de suprimento/logística para atender à necessidade de seus clientes em quantidade, qualidade e tempo.

No caso específico de uma empresa de genética como a Pioneer, que fornece sementes híbridas de milho e cultivares de soja, e que deve cumprir toda uma sequência de seleção, testes e validação e cujos produtos possuem forte interação com o ambiente, a questão de infraestrutura e logística torna-se ainda mais complexa.

Dentro de todo este processo, um aspecto fundamental são as regiões de produção. Além de necessitar de planejamento detalhado, considerando as particularidades técnicas de cada cultivar ou híbrido tais como melhor época de plantio, sincronismo entre plantio, ciclo, colheita e capacidade de recebimento nas unidades, também precisa de ambientes adequados para multiplicação das sementes e possuir toda a infraestrutura necessária com cooperados e fornecedores capacitados tecnicamente, aliado de facilidade no escoamento da produção, para que não haja atraso no cronograma de plantio dos clientes.

E este é um dos pontos mais fortes da Pioneer que, sem dúvida, a coloca como a empresa de sementes com melhor posicionamento geográfico e estratégico, com suas unidades de pesquisa e produção posicionadas de maneira estratégica, permitindo o desenvolvimento e a multiplicação de produtos adaptados e de alta performance para atender a complexa logística da agricultura brasileira, conforme pode ser observado na figura abaixo.

Somente nestes dois últimos anos, a empresa iniciou três novos investimentos, sendo dois Centros de Terminação e Distribuição de Sementes em que se faz o Tratamento Industrial de Sementes com inseticidas e fungicidas, embala, armazena e distribui. Situados em Guarapuava/PR e Primavera do Leste/MT, além de uma nova Unidade de Produção de Sementes de soja em Catalão/GO, somando investimentos de aproximadamente US$ 60.000.000,00. Em Guarapuava, às margens da rodovia BR-277, que liga o Centro-Oeste do país ao Porto de Paranaguá, que abastece os produtores das regiões dos campos gerais e centro norte do Paraná, além do Mato Grosso do Sul. Com uma área de armazenagem de 6.100 m2, possui capacidade de estocagem para 500.000 unidades.

Em Primavera do Leste, em frente a BR-070, no distrito industrial desta localidade, possui 9.000 m2 de armazém, equipado com câmaras climatizadas à 17°C para armazenagem de sementes de soja e câmara fria à 10°C para sementes de milho. Este Centro de Distribuição, estrategicamente localizado, atenderá a partir desta safra o Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e o restante da região Centro-Norte do país tanto em sementes de soja como de milho.

Em Catalão, certamente a Pioneer terá a sua Unidade de Recebimento e Beneficiamento de Sementes de Soja mais moderna do mundo. Localizada às margens da BR-050 e próximo ao distrito industrial, está projetada para o recebimento, beneficiamento, tratamento industrial, armazenagem e expedição de 1.000.000 de sacas de 40 Kg em sua primeira fase de construção, com início de operação previsto para fevereiro de 2012, atingindo 2.000.000 de unidades quando o projeto estiver completo. Além desses investimentos, a empresa está elevando sua capacidade de câmaras frias em praticamente todas as suas Unidades de Produção, garantindo assim a preservação da qualidade superior de seus produtos.



Mas a Pioneer sabe que, para sustentar todos estes investimentos, necessita de profissionais qualificados, possuindo um forte e estruturado programa de desenvolvimento, capacitação e retenção de talentos, que incluiu treinamento e intercâmbio técnico na matriz nos Estados Unidos e em outras operações no mundo, onde a empresa possui bases físicas.

Mostrando claramente confiança no desenvolvimento do Brasil, os investimentos não param. Já estão sendo projetados para o futuro mais investimentos, visando um melhor atendimento às necessidades de um mercado cada vez mais exigente e profissional. ​

Autor:
Geraldo Davanzo
Diretor de produção soja da Pioneer Sementes
Fonte: