Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Artigos

Artigos

07/11/2011

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho

A condução de uma lavoura de milho para produção de silagem de planta inteira requer as mesmas práticas de manejo que uma lavoura para alta produção de grãos. Em algumas situações de propriedades em que ocorre a produção de grãos e silagem de planta inteira, é no momento do corte que o produtor decide o quanto será utilizado para silagem e o restante para produção de grãos. A seguir estão listados alguns dos principais pontos a serem considerados no planejamento de uma lavoura, visando produção de silagem de planta inteira de milho com volume e qualidade nutricional.

 

Escolha do híbrido
A escolha dos híbridos é o primeiro passo para se obter uma silagem com volume e qualidade. Dessa forma, os híbridos escolhidos devem ter sido testados e recomendados para a região, oferecendo características agronômicas importantes como alta produtividade de grãos, tolerância às principais doenças e tolerância ao acamamento e quebramento. Além disso, deve apresentar estabilidade produtiva ao longo dos anos tanto em boas condições de clima como em condições desfavoráveis.

 

Época de plantio
Para que a planta de milho expresse todo seu potencial de produção é recomendável que a lavoura seja conduzida na principal época de plantio da região. No caso da região Sul, por exemplo, prevê que as lavouras de verão sejam plantadas dentro do mês de setembro até meados de outubro. Entretanto, muitas lavouras são conduzidas em plantios mais tardios onde se explora o azevém até o limite, o que implica em plantios de milho desde o fim de outubro até novembro. Nem sempre o híbrido a ser plantado tardiamente é o mesmo plantado na época ideal e, nestes casos, normalmente o potencial de produção é menor. Já nas regiões de safrinha, o plantio deverá ser realizado entre os meses de janeiro a março. Da mesma forma, os híbridos plantados na safrinha são diferentes dos plantados no verão. Portanto, a escolha do híbrido deve obedecer à recomendação técnica de acordo com a época de plantio e região a ser cultivada.

 

População de Plantas
De forma geral, maiores populações de plantas são utilizadas dentro da principal época de plantio, de acordo com a recomendação técnica para cada híbrido. As maiores produtividades de Massa Verde e Matéria Seca por hectare são obtidas em populações mais elevadas. Por outro lado, o aumento da população de plantas requer adubações mais elevadas e equilibradas. No caso dos plantios mais tardios, normalmente se usam populações mínimas de acordo com o posicionamento técnico de cada híbrido.

Para se atingir a população de plantas desejada o produtor precisa considerar aspectos importantes como o manejo de palhada e controle das pragas iniciais. Além disso, a plantadeira deve estar revisada e devidamente regulada para esta operação em que o operador deve assegurar o uso de velocidade de plantio adequada (cerca de 5 Km/h) e checar diariamente a plantadeira para providenciar eventuais ajustes. De acordo com Stracham (2004), o número final de espigas por hectare responde por, aproximadamente, 85% da produção de grãos. Veja no Gráfico 1 que os grãos respondem por 50% de toda a Matéria Seca produzida pela planta de milho. Além disso, na Tabela 1 é possível observar o efeito do conteúdo de grãos no valor nutricional da silagem.

 

 

 

 
Estes dados reforçam a importância do uso de populações elevadas e, principalmente, adequadas ao híbrido e à época de plantio como forma de se obter alto volume de Massa Verde e Matéria Seca e, consequentemente, aumentar a participação de grãos na massa ensilada, resultando em uma silagem de alta qualidade nutricional.
 
Redução de Espaçamento entre linhas
Esta prática tem por objetivo melhorar a distribuição espacial das plantas na lavoura, visando aumentar a interceptação da radiação solar e reduzir a evaporação da água do solo pelo fechamento mais rápido da cultura. Como resultado, as plantas encontram um ambiente mais favorável para expressar todo o seu potencial produtivo. No caso da silagem também é possível aumentar os rendimentos de Massa Verde e Matéria Seca com esta prática. Veja no Gráfico 2 a produção de Matéria Seca em diferentes populações e espaçamento entre linhas.

 

 

De acordo com os dados obtidos é possível observar que houve incremento médio de 814 Kg/ha na produção de Matéria Seca quando se reduziu o espaçamento entre linhas nas três populações avaliadas, correspondendo a um ganho médio de 3,9%. Importante destacar que neste trabalho não ocorreram alterações nos valores de FDA, FDN e NDT, reforçando que esta prática, combinada com o aumento da população de plantas, proporciona ganhos de produtividade em Massa Verde e Matéria Seca sem afetar a qualidade nutricional da silagem.

 

Fertilidade do solo e adubação
Diferentemente da lavoura para produção de grãos, o milho para silagem leva para o silo maior quantidade de nutrientes, ou seja, o milho que vai para o silo acarreta diminuição da matéria orgânica bem como a reciclagem de nutrientes do solo. Todo nutriente extraído é exportado para fora da área, necessitando de monitoramento constante, através de análise de solo, para correção e/ou manutenção da fertilidade do solo (Tabela 2). Entretanto, esta adubação poderá ser compensada utilizando-se resíduos animais como o esterco para fazer a reposição dos nutrientes. De acordo com Pauletti (2004), cada metro cúbico de esterco líquido de bovinos possui, em média, 1,4 Kg de Nitrogênio, 0,8 Kg de P2O5 e 1,4 Kg de K2O.

 

 

Controle de pragas
Com a introdução da tecnologia Bt na cultura do milho, produtores de silagem têm obtido bons resultados no manejo de pragas como o controle satisfatório da lagarta-do-cartucho. Neste cenário, a Pioneer Sementes oferece seus principais híbridos para silagem com a tecnologia Herculex®I, a qual possui ação sobre as 5 principais lagartas que atacam a cultura do milho (Quadro 1). Além disso, e complementando o controle do espectro de pragas nas fases iniciais como percevejos, tripes, corós e cigarrinhas, a Pioneer oferece o exclusivo Tratamento de Sementes Industrial com produtos registrados e comprovadamente eficientes para o controle destas pragas.

 

 

Valor das práticas agronômicas na produção de silagem
Como podemos ver, existem algumas práticas agronômicas que são fundamentais no processo de obtenção de altos índices de produtividade em silagem. Atualmente, muitos produtores de silagem, em diferentes regiões do Brasil, vêm alcançando produtividades acima de 60 ton/ha de Massa Verde graças à adoção destas práticas em combinação com o uso de híbridos estáveis e de alto potencial produtivo. Finalmente, devemos considerar também as práticas de manejo para o processo de ensilagem como ponto ideal de corte, tamanho de partícula, compactação e vedação do silo, para que a lavoura de alto potencial de produção obtida no campo resulte em uma silagem de alto valor nutricional.

 

Referências:

PAULETTI, V. Nutrientes: Teores e Interpretações, 2ª Edição 2004.

STRACHAM, S. D. Corn Grain Yield in Relation to Stress During Ear Development. Crop Insights, Vol. 14, nº 01. Pioneer Hi-Bred, Johnston, IA. 2004.

 

 ​
Autor:
Robson Fernando de Paula
Coordenador Técnico Regional da Pioneer Sementes
Fonte: