Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Artigos

Artigos

24/03/2014

Nota técnica: Tecnologia Bt

A ABRASEM – Associação Brasileira de Sementes e Mudas vêm pela presente informar o que segue:
 
A dinâmica da resistência é algo comum e que acontece na natureza. Uma praga, uma planta daninha, um fungo ou uma bactéria estão constantemente tentando usar recursos para criar resistência. É a lei da sobrevivência que a natureza assim impõe. Porém, quando há o correto manejo, esse processo é minimizado e retardado.

Existem vários exemplos não só na área agrícola como na área humana com os medicamentos. Um exemplo é a quebra de resistência de algumas bactérias aos antibióticos. Há um esforço muito grande de toda comunidade científica e médica para informar a população em relação às boas práticas de uso de medicamentos para se evitar que os mecanismos de resistência aconteçam rapidamente. Uso de receita para garantir que o produto esta sendo usado na dose e periodicidade correta são alguns exemplos de boas práticas. Isso sem falar que alguns desses medicamentos tem uso restrito aos hospitais.

A tecnologia Bt, como qualquer outra tecnologia agrícola para controle de pragas, doenças e plantas daninhas, depende, para seu pleno funcionamento, durabilidade e proteção, de um manejo adequado no campo. Isso foi e vem sendo alertado desde a sua introdução.

Define-se como correto manejo da lavoura, a combinação e uso adequado de um conjunto de práticas agrícolas. No caso específico da tecnologia Bt, todas estas práticas foram exaustivamente informadas pelos mais diferentes meios de comunicação como palestras técnicas, dias de campo, site, matérias em jornais e revistas especializadas do setor.

Esse conjunto de iniciativas partiu não somente das empresas que desenvolveram as tecnologias como também foi alvo de campanhas a nível nacional e que foram e estão sendo promovidas pelas associações de produtores de sementes a exemplo da ABRASEM, e inclusive apoiadas por instituições governamentais e de pesquisa pública, dentre outras.

Como pilares destas campanhas e trabalhos que foram e continuam sendo realizados, o Manejo Integrado de Pragas e o Manejo de Resistência, são fundamentais para a melhor eficiência e proteção da tecnologia.
 
Dentre as práticas recomendadas e amplamente divulgadas para se alcançar maior eficiência e segurança estão: a rotação de culturas, o tratamento de sementes, o monitoramento da lavoura para identificar pragas não alvo e pragas alvo com níveis de ataque acima do esperado, e o uso correto de inseticidas registrados. Além disso, o plantio de áreas de refúgio é também prática central para a boa preservação e manutenção da eficácia da mesma. Também o uso das áreas de refúgio sempre foi e continua sendo exaustivamente recomendada e que tem como principal objetivo reduzir a possibilidade de cruzamento entre indivíduos escapes, portanto resistentes, e assim, consequentemente atrasar o aparecimento de gerações resistentes.

Grupo Abrasem de Boas Práticas Agronômicas em Biotecnologia.​
Fonte: