Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Artigos

Artigos

21/07/2016

Uso do Tratamento de Sementes Industrial para o controle das pragas iniciais da cultura do milho

São vários os fatores que podem causar diminuição de produtividade na cultura do milho, dentre eles podemos destacar: pragas, doenças e competição de plantas daninhas. Nas fases iniciais, a cultura do milho é muito sensível aos danos das pragas¹, podendo estas causar intensa desfolha e até mesmo perda de estande na lavoura², resultando em redução significativa de produtividade. Uma boa estratégia de manejo para o controle das pragas iniciais na cultura do milho passa por quatro fases:

  • Histórico e identificação das pragas:nas fotos 1 e 2 temos as duas principais pragas que atacam a cultura do milho nos estádios iniciais da lavoura e podem trazer sérios danos de produtividade, o percevejobarriga-verde e a lagarta-do-cartucho.
  • Dessecação antecipada e monitoramento para uso de inseticidas: na figura 1 pode-se observar que temos que planejar a dessecação³ entre 20 e 30 dias antes do plantio, buscando o controle das plantas daninhas e pragas. Entretanto é importante que se realize sempre o monitoramento da lavoura e, quando forem encontradas lagartas e percevejos vivos, recomenda-se o uso de inseticidas.
  • Escolha da tecnologia Bt e tratamento de sementes: A DuPont Pioneer oferece aos produtores a tecnologia Leptra® de proteção contra insetos. Essa tecnologia é mais uma ferramenta que, associada às Boas Práticas de Manejo4 (dessecação antecipada, tratamento de sementes, adoção de área de refúgio estruturado efetivo, controle de plantas daninhas e voluntárias, monitoramento de pragas e pulverizações complementares, e rotação de culturas), auxiliará no controle das populações das sete principais lagartas da cultura do milho (veja as pragas na Figura 1).
    Entre os principais benefícios do tratamento de sementes estão: a manutenção do estande em função da proteção das plantas nos estádios iniciais da cultura; o manejo da resistência de lagartas à tecnologia Bt; o maior espectro do controle das pragas; e, por fim, quando realizado de forma industrial, a maior segurança de dose e cobertura.
  • Monitoramento da lavoura implementada: Depois que a cultura está implementada, o monitoramento da lavoura, principalmente nos estádios iniciais, é fundamental. Para isso, conforme mostra a figura 1, para cada tecnologia ou pragas temos diferentes níveis de danos que determinam as ações que devem ser tomadas:
    • Percevejos: Aplicar inseticidas recomendados para o controle quando o nível de dano for atingido (na média 1 percevejo vivo a cada 10 plantas).
    • Lagartas: Área de Refúgio Estruturado Efetivo: aplicar no máximo 2 vezes até o estádio fenológico V6 quando, na média das amostragens, 20% das plantas apresentarem nível 3 de dano da Escala Davis.
    • Híbridos com a tecnologia Leptra®: Sempre que, na média, 4% das plantas estiverem ao nível 3 da Escala Davis, contate o Representante Comercial dos produtos marca Pioneer® ou o distribuidor da sua região e verifique a necessidade de aplicação de inseticidas.
    • Híbridos sem a tecnologia Leptra®: Aplicar sempre que, na média, 10% das plantas estiverem ao nível 3 da Escala Davis.

Tratamento de Sementes Industrial

O Tratamento de Sementes Industrial adota alta tecnologia para garantir a dose de cobertura do produto por semente, proteção do produto e germoplasma, além de evitar riscos de contaminação e possíveis erros comuns ao tratamento realizado na fazenda5.

Na safrinha 2016, a DuPont Pioneer passou a oferecer aos agricultores o Tratamento de Sementes Industrial (TSI) com o inseticida Dermacor®, associado aos inseticidas do grupo dos Neonicotinoides (Poncho® ou Cruiser®).

A associação destes tratamentos traz importantes benefícios para os produtores, tais como:

Maior segurança na aplicação

Por meio de equipamentos especiais que asseguram cobertura, dose e qualidade fisiológica das sementes, o TSI proporciona mais proteção, segurança e conveniência aos produtores e ao meio ambiente.

Proteção nos estádios iniciais da cultura

A utilização de diferentes modos de ação auxilia as proteínas Bts na redução da pressão sobre as pragas, colaborando para a prorrogação de sua eficácia, dando uma segurança a mais para o produtor.

Pode-se ver no gráfico 1 que, com o uso de inseticidas via tratamento de sementes industrial, houve uma diminuição da % de plantas raspadas, quando comparado com a testemunha, nos estádios fenológicos V2 e V3.

Conforme pode ser visto no gráfico 1, o Tratamento de Sementes Industrial (Dermacor® + Poncho®) é uma segurança a mais para o estabelecimento da lavoura. Trabalhos realizados pela Fundação ABC mostram que a incidência de plantas cortadas por lagarta-docartucho foi estatisticamente inferior quando comparado com a testemunha. O gráfico 3 mostra um resumo de trabalhos realizados pelo departamento de agronomia da DuPont Pioneer no Paraná, onde foram avaliados os tratamentos de semente nos diferentes níveis de ataque de percevejo (leve, moderado e severo). Percebe-se claramente que, com o uso de Poncho®, se obteve uma forte redução dos danos leves e moderados causados pelo percevejo. Essa prática torna-se fundamental, já que essa praga pode causar danos de produtividade de até 15% quando o dano for leve, 32% quando o dano for moderado e de até 90% quando o dano for severo.



Agilidade no Plantio

A praticidade e agilidade do TSI é um diferencial importante a considerar, pois elimina a necessidade de mão de obra e equipamentos para retratar.

Maior espectro de controle de pragas

A tecnologia Leptra® associada ao Dermacor® + Poncho® ou Cruiser® resulta na maior amplitude do espectro do controle de pragas nas fases iniciais da lavoura de milho. Conforme podemos ver na figura 2, as pragas controladas são: lagarta-rosca, lagarta-elasmo, lagartado-cartucho, helicoverpa e percevejos, superando os principais produtos com registro para tratamento de sementes em milho.

Manutenção do estande

A aplicação de inseticidas via tratamento de sementes atua sobre os insetos nas fases iniciais da lavoura de milho, auxiliando na manutenção do estande por hectare e mostra-se essencial para boas produtividades na cultura do milho. Quando olhamos a população final no gráfico 4, é possível perceber que neste estudo o uso de Dermacor® acresceu quase 20% o número final de plantas na lavoura. A população final de plantas é o componente principal do rendimento e é uma característica específica de cada híbrido.

Conclusão

A DuPont Pioneer tem o compromisso de entregar aos produtores novas tecnologias que melhorem o controle das pragas, assim como levar informações úteis para prolongar a durabilidade das mesmas. O Manejo Integrado de Pragas nos permite, com a adoção de várias práticas, atacar o problema de forma sistemática, diminuindo as possibilidades de falhas de controle que geram consequentes perdas de produtividade. A adoção efetiva destas medidas por parte dos produtores resulta em um esforço conjunto na direção do aumento da rentabilidade.

¹ Veja mais sobre o controle de pragas iniciais na cultura do milho em: www.pioneersementes.com.br/pragasiniciais

² Entenda melhor sobre a importância do estande de plantas, acessando www.pioneersementes.com.br/estandeplantas

³ Leia mais sobre dessecação antecipada em “Dessecação Antecipada da Soja e Cuidados com Percevejos na Safrinha”: www.pioneersementes.com.br/dessecacao

4 Para saber mais sobre as Boas Práticas de Manejo e seus benefícios para a longevidade das tecnologias Bt, acesse: www.pioneersementes.com.br/bpleptra

5 Conheça os benefícios do Tratamento de Sementes Industrial em comparação ao Tratamento realizado na Fazenda: www.pioneersementes.com.br/tsixts

Autor:
Fabrício Bona Passini – Gerente de Agronomia Sul da DuPont Pioneer
Fonte: