Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Artigos

Artigos

01/12/2004

Quanto custa produzir silagem de milho com qualidade?

No planejamento da lavoura de milho destinada à silagem é muito comum o pecuarista fazer opção por alternativas que, na sua opinião, poderão reduzir os custos de produção. São práticas comuns a escolha de híbridos de menor custo de semente, redução na quantidade de fertilizantes e, em certas ocasiões, destinar para silagem as áreas que por algum motivo tiveram sua produtividade de grãos comprometida - as piores áreas da lavoura. Se o pecuarista imaginar somente os custos iniciais da lavoura, num primeiro momento, esse pensamento pode até parecer correto.

Importância da silagem com volume e qualidade

Quanto maior a produtividade da silagem (Massa verde/Massa seca) e qualidade, menor será o custo de produção. No custo total da silagem, os custos operacionais giram ao redor de 65% . Assim, os investimentos destinados à produção de silagem buscando produtividade com alta qualidade são compensadores.

Na tabela 1 são apresentados os custos de produção de duas lavouras de milho de diferentes produtividades de Massa Verde (MV) e grãos que serão destinadas à silagem.

 

 
 

 

Tomamos como base uma lavoura de produtividade de 30.000 kg de MV/ha, com produtividade de grãos estimada em 5.000 kg/ha, que representa a maioria das lavouras geralmente destinadas à silagem; e também uma lavoura com produtividade de 60.000 kg de MV/ha e produtividade de grãos de 10.000 kg/ha que, em virtude das maiores exigências agronômicas da lavoura, são tidas pelos pecuaristas como uma silagem de "alto custo".

Custo x qualidade do volumoso

Observando-se os custos de implantação, que incluem correção do solo e a reposição dos nutrientes extraídos, verifica-se que a diferença de custos entre as lavouras é quase toda devida a menor quantidade de fertilizante aplicado e, por isso, não representa economia e sim uma limitação da produtividade.

O custo da semente para as duas lavouras representou somente 7 a 8% do custo total das duas silagens. Qual a vantagem de se economizar em sementes? Menor uso de fertilizantes e sementes de baixa tecnologia certamente refletem em menor produtividade.

Quando se avalia o custo da tonelada de silagem produzida, verifica-se que a lavoura de menor produtividade (30.000 kg/ha) tem custo muito superior a de maior produtividade (60.000 kg/ha), de R$ 50,02 para R$ 33,45/tonelada. O maior custo de implantação da lavoura é diluído pelo maior volume de silagem produzida. Para cada 500 toneladas de silagem o pecuarista terá uma economia de R$ 8.285,00.

Benefícios da silagem de milho x outros volumosos

Porém, se o pecuarista considerar somente o custo de produção em relação a massa verde colhida poderá equiparar a silagem de milho a outros volumosos (cana de açúcar, capineiras, silagens de capins, etc) que também têm altas produtividades. Qual a principal vantagem da silagem de milho? Simples. Veja que a silagem de milho de alta produtividade de MV/ha também apresenta uma elevada produtividade grãos, que representa quase metade da matéria seca da silagem e, como sabemos, é a principal fonte de energia da alimentação animal.

Na tabela 2 observa-se que a quantidade de energia produzida (NDT) também é bastante elevada para a lavoura que apresenta altas produtividades de MV/ha e de grãos.

 

 

Associado ao menor custo de produção o pecuarista terá armazenado na sua propriedade, na forma de silagem, grande quantidade de energia. Se fizer opção por outros volumosos, a energia (NDT) necessária para a produção de leite ou carne deverá ser fornecida na forma de ração concentrada, que certamente terá custo muito superior ao da silagem.

Nota-se que para cada hectare de silagem produzida, a diferença de NDT entre as duas lavouras é de 7.581 kg (13.471 para 5.890).

Quanto essa qualidade superior representa em valores? De forma simples, se fizermos a adição desse NDT equivalente em milho (82% de NDT) seriam necessários 9.245 kg de milho que, em valores de R$ 14,50/sc de milho, correspondem a aproximadamente R$ 2.235,00.

Assim, o pecuarista deve ter sempre em mente que todo o investimento destinado a maximizar a produtividade de sua lavoura destinada à silagem será cada vez mais compensador à medida que ele consiga associar altas produtividades de forragem com elevado valor nutritivo. O híbrido escolhido deve ter estabilidade agronômica, alto potencial produtivo e possibilitar elevada produtividade de grãos.

Os verdadeiros fatores envolvidos na produção de silagem que podem reduzir custos não passam pela redução de insumos ou pelo menor valor pago pela semente. Na grande maioria das vezes, eles estão nos procedimentos de manejo que visam minimizar as perdas decorrentes em cada etapa do processo, da lavoura ao animal. O pecuarista vai obter resultados bastante significativos com procedimentos simples, como regulagem de ensiladeira, dimensionamento do silo, boa compactação, retirada correta do perfil, etc.​

Fonte: