Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Artigos

Artigos

05/01/2007

Grupo Guerino Ferrarin: aposta na safrinha

Na fazenda do Grupo Guerino Ferrarin, de 40.100 hectares, localizada em Lucas do Rio Verde (MT), juntos, pai e filho, Guerino e Rogério Ferrarin, buscam na safrinha uma alternativa para tornar os negócios da família mais rentáveis.

A história de sucesso do Grupo iniciou quando Guerino, natural de Palmeira das Missões (RS), transferiu-se para Lucas do Rio Verde em 1992, onde iniciou o cultivo de soja numa área de 500 ha. Hoje ele, juntamente com o filho Rogério, além da soja e uma pequena área de arroz, planta 20.000 a 25.000 ha de milho safrinha. Na hora da escolha dos híbridos, os produtores levam em conta aspectos como sanidade de colmo e doenças foliares, potencial e estabilidade produtiva, suporte e qualidade dos serviços.

Contando com uma boa estrutura e planejamento dos seus negócios, a família Ferrarin busca elevar o nível de tecnologia e alcançar melhores produtividades a cada nova safra de milho, utilizando como fontes de informação as empresas parceiras, as áreas experimentais conduzidas em sua fazenda e a participação em eventos voltados a sua atividade.

Rogério revela que doenças de colmo e ferrugem são problema na região. Por isso, tem optado por cultivares que apresentam tolerância a estas doenças. Os principais insetos causadores de danos no milho na região são os percevejos, lagarta do cartucho e diatréia e já começa a observar o início de ataque de pulgão.

Os Ferrarin utilizam o tratamento de semente e fazem aplicações com produtos específicos durante o desenvolvimento da cultura de acordo com as necessidades apontadas. O controle das plantas daninhas também é feito através da dessecação e aplicação de herbicidas em determinadas áreas onde existe maior pressão de ervas, revelam os produtores.

Na última safrinha, o grupo Ferrarin colheu uma média de 86,64 sc/ha. A comercialização do milho foi feita com e mecanismo de comercialização do governo (PROP e AGF). A decisão de quando e quanto vender é influenciada pela planilha de custo da formação da lavoura. Ao atingir a margem esperada, efetua o fechamento, comenta Rogério.

Como conselho para uma safrinha de sucesso, Rogério destaca a importância de investir e acompanhar a evolução tecnológica, conhecer o custo de produção da lavoura para auxiliar na comercialização e possuir parcerias com empresas preocupadas com o sucesso do produtor.​

Fonte: