Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

07/02/2014

Pesquisador da Coodetec apresenta Boas Práticas Agronômicas no Show Rural

Preservar tecnologias também é dever do agricultor. Por isso, a Abrasem lança campanha nacional de conscientização sobre Boas Práticas Agronômicas Aplicadas a Plantas Geneticamente Modificadas Resistentes a Insetos. Em Cascavel, durante o Show Rural Coopavel, a entidade promoveu duas palestras sobre o assunto, com o gerente da Divisão de Pesquisa da Coodetec, Ivan Schuster. As palestras ocorreram na tarde destas quarta e quinta-feira, dias 05 e 06.
 
Durante a explanação, Schuster destacou as principais ações para manutenção das tecnologias Bt, que agrupam todas as plantas geneticamente modificadas resistentes a insetos. De acordo com o pesquisador da Coodetec, o produtor precisa estar atento ao trabalho realizado na lavoura. “A impressão que se tem é a de que o produtor sempre espera que as empresas trarão uma solução para a quebra de resistência da tecnologia. Isso não pode acontecer. Novas tecnologias de resistência demoram anos para chegar ao mercado e as atuais permanecerão por muito tempo ainda, por isso existe essa necessidade de desenvolver atividades para garantir que esses eventos continuem dando resultados”, argumenta.
 
Para Ivan também é importante que o produtor saiba que os produtos para controle de lagartas são desenvolvidos nos Estados Unidos, onde o clima e as condições de ambiente são completamente diferentes aos do Brasil. “O inverno americano é bem mais rigoroso e não sobram lagartas para o próximo plantio. No Brasil, essas pragas permanecem o ano inteiro na lavoura. O manejo precisa ser diferente aqui devido a ponte verde, que é a presença contínua de cultivos agrícolas durante todo o ano, favorecendo a proliferação e aumento da quantidade de pragas”, explicou.
 
Ainda segundo o pesquisador, são seis as possibilidades de preservação das tecnologias Bt: dessecação antecipada, tratamento de sementes, plantação de refúgio, controle de plantas daninhas, monitoramento de pragas nas lavouras e rotação de cultura. “O produtor precisa estar atento ao manejo integrado de pragas para que a tecnologia tenha vida longa e as lavouras permaneçam livres do ataque de lagartas”, finalizou Schuster.
Fonte: