Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

18/02/2014

Plantio do milho salta de 16% para 45% em uma semana no MT

As plantadeiras trabalham a todo vapor na segunda safra de milho em Mato Grosso, que deve ser cultivada em pouco mais de 3,2 milhões de hectares. O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontou no boletim divulgado que entre o último dia 6 e quinta-feira (13), a área semeada saltou de 16% para 40%, avanço semanal de 29,9 pontos percentuais (p.p.). “Assim, as chances de semeadura dentro da janela ideal elevam-se, podendo, com isso, garantir bons rendimentos”, avaliou a entidade.
 
No boletim o Imea também analisou o impacto do quinto levantamento da safra nacional da Companha Nacional de Abastecimento (Conab), em Mato Grosso. “Em relação ao Brasil, a Conab também trouxe, em seu quinto levantamento de safra, dados sobre a 2ª safra de milho. A produção nacional de 2ª safra foi estimada em 42,83 milhões de toneladas para a safra 2013/14, um recuo anual de 7,15%, motivado pela baixa na área e na produtividade, com 4,8% e 2,4%, respectivamente. O principal Estado que impactou nesta redução foi Mato Grosso, com queda expressiva de 14,46% em sua produção, ocasionada, principalmente, pela diminuição de investimentos na cultura frente a outras mais rentáveis”.
 
No tocante ao preço, o instituto destaca no documento que no mercado futuro, tanto na Bolsa de Chicago quanto na BM&F, apresenta valorização desde o final do ano passado. “As cotações na Bolsa de Chicago vêm sentindo pressões altistas devido ao aumento da demanda interna e externa nos Estados Unidos. No mês de fevereiro o milho ficou próximo a R$ 25,00/sc na CBOT, estimulado, sobretudo, pelos dados de oferta e demanda do USDA [departamento americano de agricultura]”.
 
Segundo o Imea, “as cotações do milho na BM&F também vêm apresentando elevação nos últimos meses, todavia, em maiores proporções. Um dos motivos que vêm pressionando as cotações para cima é a expectativa de uma oferta do cereal menor que a esperada internamente, ao lado de uma forte demanda na safra 2013/14. Na última sexta-feira (14) o cereal encerrou cotado a R$ 30,74/sc para vencimento em março/14, preço R$ 5,55/sc maior que o do fechamento da CBOT”.
Fonte: