Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

21/02/2014

Cargill quer elevar processamento de milho em 30% com biorrefinaria de Castro

Castro, nos Campos Gerais do Paraná, é o mais novo ponto estratégico da norte-americana Cargill para a América Latina. A empresa inaugurou na tarde desta quinta-feira (20) a sua primeira biorrefinaria de processamento de milho no Brasil, que tende a criar uma demanda extra para a produção do grão produzido no Paraná e também em estados vizinhos como Mato Grosso do Sul e até mesmo para o Mato Grosso. A previsão da empresa é absorver de 400 mil a 500 mil toneladas do cereal ao ano.

Com investimento de mais de R$ 500 milhões, a planta é equiparada à “menina dos olhos” da multinacional instalada no estado do Nebraska (EUA) e deve produzir matéria-prima para indústrias de lácteos, bebidas, nutrição animal, confeitos e para fábricas de papel e papelão. Para concretizar seus planos, contudo, a biorrefinaria conta com a instalação de outras empresas que devem se instalar na região e garantir demanda. A alemã Evonik, produtora de aminoácidos e produtos para alimentação animal, é a primeira a tirar do papel uma indústria na vizinhança. A expectativa é de que a empresa inaugure uma fábrica no final deste ano. Outras quatro companhias já confirmaram que vão erguer estruturas na região de Castro em seis anos, conforme os executivos da empresa norte-americana. As empresas que comprarão soluções da Cargill serão interligadas e receberão os produtos através de dutos. “Essa unidade conta com os equipamentos modernos para atender toda a América Latina”, reforçou o presidente global da multinacional, David McLennan.

Ele ressaltou que o investimento reforça a importância que o Brasil tem para os negócios da empresa. Nos últimos três anos, investimentos mais de R$ 1 bilhão neste país e esperamos que a capacidade [nacional] de processamento de milho aumente em 30% com essa unidade.

Emocionado, o prefeito de Castro, Reinaldo Cardoso, destacou que a construção da biorrefinaria marca um “divisor de águas” para a economia do município. Até o momento, a unidade gerou 200 empregos diretos – 180 com trabalhadores do próprio município – e outros 600 são indiretos.

O evento de inauguração contou com participação de autoridades políticas, representantes do setor produtivo local e estadual. A embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayaldr e o cônsul geral do país norte-americano, Dennys Hankis, também estiveram presentes.​
Fonte: