Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

17/03/2014

Juízes visitam propriedade rural e cooperativa em Sorriso

Trinta juízes das comarcas do interior de Mato Grosso visitaram uma propriedade rural em Sorriso e as cooperativas de produtores. O roteiro faz parte da programação do Seminário Desenvolvimento Econômico e seus Reflexos no Sistema Judicial, encerrado no final de semana, com participação de mais de 500 pessoas entre juízes, desembargadores advogados, produtores, acadêmicos de direito, agronomia e medicina veterinária, servidores públicos e professores.

Foi a primeira vez que a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado (TJ-MT), realizará  um evento com esta proporção para magistrados de Mato Grosso e outros estados, com palestras e visita técnica. "Nosso objetivo com essas visitas nas propriedades e nas cooperativas é fazer com que os magistrados vejam de perto nosso trabalho e fiquem à vontade para tirar dúvidas e também esclarecer as nossas dúvidas em relação ao papel deles nas decisões que envolvam o setor", explica o diretor Administrativo e Financeiro da Famato, Nelson Piccoli.

A fazenda visitada foi a do produtor Pedro Virgolo, que vive na região desde 1977. A propriedade possui 850 hectares de soja e milho e uma parte há experimentos com feijão. Os magistrados aproveitaram a oportunidade para tirar dúvidas e conhecer um pouco mais do dia a dia de um produtor rural. "Foi uma experiência boa poder contribuir com informações para os juízes", disse Virgolo.

Para o juiz do município de Canarana, André Barbosa Guanaes Simões, a visita técnica foi produtiva: "Gostei muito das discussões e de estar mais próximo da atividade. Acredito que é fazendo essa troca de experiências que nós, juízes, conseguiremos aproveitar mais e enriquecer nossos conhecimentos na hora de tomar decisões", avaliou.

A juíza Rosangela Zacarkim dos Santos, da comarca de Sinop, corrobora com a opinião Simões, mas destaca que, além de trocar experiências, o importante do evento também é desmistificar o papel do juiz. "Este evento está sendo interessante para desmistificar a figura do juiz como um algoz que não está conectado com a realidade. Nós estamos conectados com o que acontece, mas muitas vezes não temos os instrumentos legais para melhorar a situação. O juiz está distrito à lei. Ele não cria, mas aplica a lei criada por deputados, vereadores. Então, este evento é importante para os produtores também tomarem conhecimento do nosso papel", afirmou a juíza.
Fonte: