Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

08/04/2014

Produção de soja tem novo recorde no Mato Grosso do Sul

Apesar das condições climáticas desfavoráveis, tanto no período de plantio como de colheita, a produção de soja em Mato Grosso Sul totalizou 6,05 milhões de toneladas na safra 2013/14, com elevação de aproximadamente 4,5% em relação à safra anterior, quando o Estado produziu 5,8 milhões de toneladas da oleaginosa, alcançando novo recorde. O anúncio oficial do final da colheita foi realizado nesta segunda-feira (7), pela Associação de Produtores de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), com as informações do Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio de MS (SIGA-MS).
 
Para o presidente da Aprosoja/MS, Mauricio Saito, o resultado ficou próximo das projeções a partir da quebra com as intempéries, quando a entidade já aguardava produção acima de 6 milhões de toneladas. "Se a nossa produtividade tivesse permanecido em 48 sacas por hectare, como foi na safra passada, teríamos colhido a projeção inicial de 6,3 milhões de toneladas de soja. Ainda assim, mesmo em meio às adversidades climáticas, os números atingiram patamares recordes ".
 
Segundo as informações do Siga - MS, a produtividade apresentou média de 46,3 sacas por hectares, com queda de cerca de 4% em relação a anterior (48 sc/hec). O município com maior produtividade na safra 2013/14 foi Chapadão do Sul, onde o sojicultor conseguiu colher 57 sacas por hectare, logo depois, ficou São Gabriel do Oeste, com 55 sacas por hectare.
 
Em sentido contrário, Douradina foi a cidade com menor produtividade, registrando apenas 30 sacas da oleaginosa por hectare. Em Dourados, importante polo produtor, a produtividade foi de 42,5 sacas por hectare. "Maracaju, o município que mais produz soja em MS, apresentou média de 45,5 sacas por hectares, colhendo 683 mil toneladas de soja", ressalta Saito. Em MS, a área destinada ao plantio de soja passou de 1,98 milhão de hectares para 2,18 milhões, com avanço de 10%.
 
De acordo com o presidente da associação, a queda do volume produzido não está associada à incidência de ferrugem asiática e nem ao ataque da lagarta Helicoverpa Armigera. "O clima freou um melhor desempenho na colheita da soja, e não a ferrugem asiática e a Helicoverpa, graças a ações do produtor que se atualiza constantemente em relação às novas técnicas de manejo, cumprindo exemplarmente as recomendações realizadas pelas instituições de pesquisa", afirma Saito, citando a Aprosoja/MS, o Sistema Famasul, a Fundação MS, a Fundação Chapadão e a Embrapa.
 
Informações da Granos Corretora apontam que o preço disponível atual é de R$ 61,50 a saca. Até o momento, 65% da soja 2013/14 já foi comercializada.​
Fonte: