Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

22/07/2013

Mapa divulga zoneamento climático para produção de soja no Tocantins

Josiane Mendes - Ascom/Seagro

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou as portarias de zoneamento agrícola de risco climático para as culturas de arroz, feijão, milho e soja para diversos estados. No Tocantins, a portaria nº 75, publicada no Diário Oficial da União, trata sobre o cultivo da soja, e traz orientações quanto às regiões e épocas mais adequadas ao plantio, além da relação de cultivares indicadas para cada localidade.

Segundo o Mapa, com a divulgação destas normas, os agricultores poderão efetuar junto aos agentes financeiros e seguradoras a contratação das operações de crédito de custeio e seguro para a Safra 2013/2014, amparados pelas informações de risco de produção, contidas nas portarias de zoneamento.

O engenheiro agrônomo da Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) Anderson Pereira explica que os dados do zoneamento são importantes para garantir a segurança na produção do grão. "Com exceção da soja irrigada, a produção de sequeiro depende das condições climáticas, como a chuva, por isso o produtor deve ficar atento ao zoneamento." Ele acrescenta que, neste momento, depois de colhida a produção do milho safrinha, os produtores deixam a terra "descansar" para, a partir de setembro, iniciar novo preparo com vistas à próxima safra. "A partir de setembro iniciam as análises e preparo do solo para, quando chegarem as chuvas de outubro, comecem um novo plantio", destaca.

Climáticos

Os elementos climáticos que mais influenciam na produção da soja são a precipitação pluvial, temperatura do ar e fotoperíodo. A disponibilidade de água é importante, principalmente, em dois períodos de desenvolvimento da cultura: germinação/emergência e floração/enchimento de grãos. Déficits hídricos expressivos, durante a floração/enchimento de grãos, provocam alterações fisiológicas na planta, como o fechamento dos estômatos e o enrolamento de folhas e, como consequência, causam a queda prematura de folhas e de flores e abortamento de vagens, resultando em redução de grãos, explica a nota técnica do Mapa.

Ainda conforme o ministério, a soja se adapta melhor a temperaturas do ar entre 20ºC e 30ºC. A temperatura ideal para seu crescimento e desenvolvimento está em torno de 30ºC. A faixa de temperatura do solo adequada para semeadura varia de 20ºC a 30ºC, sendo 25ºC a temperatura ideal para uma emergência rápida e uniforme. A floração precoce ocorre, principalmente, em decorrência de temperaturas mais altas, podendo acarretar diminuição na altura de planta. Objetivou-se, com o zoneamento agrícola, identificar os municípios aptos e os períodos de plantio com menor risco climático para o cultivo da soja no Estado. A lista completa dos municípios está disponível em anexo à portaria, no Diário Oficial da União.

O documento alerta ainda os produtores para estarem atentos às determinações relativas ao vazio sanitário, como forma de prevenção e controle da ferrugem asiática. O vazio sanitário é definido em portarias da Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adapec). Durante o período, o plantio, que é destinado à pesquisa científica e à produção de semente genética, está autorizado somente nas regiões de várzeas dos municípios de Lagoa da Confusão, Dueré, Pium e Formoso do Araguaia, que juntos têm um potencial de produção de cerca de um milhão de hectares.

Produção

O crescimento da área plantada de soja vem sendo notado a cada ano, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Na safra passada foram plantados 451,16 mil hectares de soja no Tocantins, contra 549,45 mil na safra atual 2012/2013, um acréscimo de 21,8%.

Revisão: Lenna Borges

Fonte: