Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

09/05/2014

Investimentos de Mato Grosso do Sul aceleram projetos de escoamento pelo Pacífico

O anúncio do governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, referente ao investimento de R$ 13,7 milhões para a construção de duas pontes que ligarão Porto Murtinho e Caracol (MS), respectivamente, aos municípios de Vallemy e São Carlos, no Paraguai, pode acelerar os projetos relacionadas à rota que levará a produção agropecuária do Estado aos portos do Chile. Detalhes sobre a construção da ponte foram divulgados em reunião com o vice-presidente da república paraguaia, Juan Afara Maciel, nesta quinta-feira (8), em Campo Grande.

O trajeto que liga Porto Murtinho, Mariscal Estigarribia (Paraguai), Tupiza (Bolívia) e Iquique (Chile) é o mais curto para que a produção agrícola brasileira atinja os portos chilenos e ganhe o Oceano Pacífico até a Ásia, principal continente importador dos grãos sul-mato-grossenses de acordo com a Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul). São 900 quilômetros a menos em relação ao percurso que cruza a Bolívia, que se estende por aproximadamente 2.700 quilômetros.

Na ligação de Porto Murtinho com Vallemy serão investidos R$ 8,2 milhões, na estrutura da ponte de 180 metros de cumprimento por 13,5 metros de largura. Já a construção da ponte entre Caracol e São Carlos ficará em R$ 5,5 milhões, alterando a extensão para 120 metros.

O diretor secretário da Famasul, Ruy Fachini, enfatizou que o setor agropecuário será diretamente privilegiado. “Investimento em infraestrutura sempre é positivo tanto para a indústria quanto para o homem do campo. Levar a produção do Estado aos portos do Pacífico poderá brevemente se tornar uma realidade”, disse Fachini durante a reunião com representantes da República do Paraguai, considerando as obras como avanço logístico e social para os países envolvidos.

Para Puccinelli a construção das pontes diversificará a matriz econômica. “A indústria de Porto Murtinho, por exemplo, tem potencial para abater mil cabeças de gado por dia e gerar a mesma quantidade de empregos. Com mais essa porta de saída se abrem oportunidades de mercado e de diversificação da economia do Estado”, destacou o governador que projeta o início das obras para o dia 2 de julho e a inauguração para dezembro deste ano.

Segundo Maciel a obra transcende as oportunidades econômicas. “Esta será uma aliança que permitirá dias melhores para o povo paraguaio. Avançaremos nos aspectos econômicos, no turismo e na cultura. Nossa pretensão é de incentivar a troca de conhecimento e promover intercâmbios entre nossos estudantes, promovendo a interação entre os dois países”, afirmou o vice-presidente do Paraguai.

Após o anúncio do governador, André Puccinelli, autoridades sul-mato-grossenses e paraguaias formaram quatro comissões para o monitoramento das obras e estreitamento nas relações internacionais. Uma comissão de transporte, que se dedicará às funções operacionais e desburocratização da alfândega, outra comissão de relações internacionais, uma técnica-científica e por último a que se dedicará ao intercâmbio industrial e comercial.
Fonte: