Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

15/05/2014

MT vai assegurando topo

Com a revisão das projeções, MT assegura o topo do ranking nacional de renda agrícola e VBP recorde. Soja e algodão sustentam previsão.

Se no mês passado Mato Grosso ‘roubou’ a liderança de maior renda agrícola do país de São Paulo, em maio, a distância que separa os dois estados aumentou um pouquinho mais em favor da produção mato-grossense que deve encerrar o atual ciclo, a safra 2013/14, com um Valor Bruto da Produção (VBP) – contabilizado da porteira para dentro – de R$ 44,82 bilhões. Além de assegurar o topo do ranking nacional do segmento, o Estado que é o maior produtor de grãos e fibras do Brasil, registrará faturamento recorde.

A projeção mensal é sensivelmente maior que a de abril, quando a estimativa para a safra agrícola do Estado foi de R$ 44,73 milhões. Na comparação anual, o incremento, se concretizado, será de quase 6% em relação ao saldo anterior em R$ 42,30 bilhões.

Enquanto Mato Grosso cresce, a estimativa para São Paulo é negativa e aponta retração de 3,3%, devendo somar R$ 44,66 bilhões. No mês passado, o estado tinha previsão de atingir R$ 44,66 bilhões. Os dados foram divulgados ontem, pela Assessoria de Gestão Estratégica, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (AGE/Mapa). Para se chegar aos números, o Ministério multiplica o valor físico da produção pelo de mercado no momento do estudo, por isso, o VBP mensura a renda gerada dentro das propriedades, ou seja, a receita da porteira para dentro.

Assim como em abril, se confirmadas as projeções para cada um das principais culturas do Estado – algodão, cana-de-açúcar, arroz, milho e soja – o crescimento estimado de 6% será quase duas vezes superior ao apontado pela AGE/Mapa ao país que deve atingir incremento de 3,76% no faturamento da produção agrícola em 2014. Em Mato Grosso, o recorde de VBP está sustentado pela soja e pelo algodão, que além de exibirem as melhores evoluções na comparação anual, respondem juntas por mais de 76% da receita agrícola estadual, ou seja, R$ 34,37 bilhões de uma estimativa de R$ 44,82 bilhões para a safra 2013/14.

CULTURAS – Das cinco mais importantes para composição do VBP estadual, apenas duas apresentaram retração na comparação anual, o milho (-13%) e a cana-de-açúcar (-9,84%).

Conforme o Mapa, o milho que conquistou ano passado o segundo lugar – inédito – ao desbancar o algodão, volta a ser terceira cultura mais importante, com previsão de faturamento de R$ 8,17 bilhões, ante R$ 9,38 bilhões do ano passado, quando a produção foi recorde, mais de 22 milhões de toneladas. Para este ano as projeções apontam para cerca de 15 milhões de toneladas, redução de 32,42%.

A cana-de-açúcar tem VBP estimado em R$ 1,19 bilhão, ante R$ 1,32 bilhão consolidados ano passado. Entre as evoluções positivas, está a recuperação das cotações e da produção do algodão no Estado. Conforme o Mapa, a pluma deve encerrar o ano-safra com receita de R$ 9,86 bilhões, 25% acima do faturamento do ano passado em R$ 7,89 bilhões. A soja, carro-chefe do agronegócio mato-grossense, deve consolidar ganho total de R$ 24,51 bilhões, 9,86% mais que os R$ 22,31 bilhões do ciclo anterior. Fechando as altas anuais está o arroz, cuja renda deve expandir 3,82% ao passar de R$ 343,89 milhões para R$ 357,03 milhões.

AGROPECUÁRIO – Ao calcular a receita gerada pelo campo e pelos pastos e granjas o VBP mato-grossense passa a ser estimado em R$ 56,28 bilhões, resultado do faturamento da agricultura em R$ 44,82 bilhões mais o da pecuária, projetado em R$ 11,45 bilhões.

Ao contrário do desempenho positivo do campo, o Mapa aponta retração para a pecuária. Pelo novo levantamento o segmento deve recuar em 5,76%, ao passar de uma receita de R$ 12,15 bilhões para uma projeção de R$ 11,45 bilhões. Nesse segmento da produção primária estão os bovinos, suínos, aves e leite. Dos quatro, apenas o leite tem projeção positiva e deve crescer 4,82% em relação à receita de 2013.

A bovinocultura tem projeção de queda de receita de 3,49% ao passar de R$ 8,87 bilhões para R$ 8,56 bilhões. A suinocultura deve fechar 2014 com perdas de 16%, a maior do segmento, já que o Mapa calcula receita de R$ 479,74 milhões ante R$ 571,45 milhões. A avicultura deve fechar com faturamento 15,31% menor, R$ 1,77 bilhão ante R$ 2,09 bilhões. A produção de leite deve passar de R$ 606,20 milhões para R$ 635,21 milhões.

Quando se comparam as projeções do VBP agropecuário entre Mato Grosso e São Paulo, o segundo que tem perspectiva de faturar R$ 57,99 bilhões, passa a frente e fica com a maior renda projetada para 2014, no país. Na safra 2011/12, quando o Mapa calculava apenas o VBP agrícola, Mato Grosso registrou pela primeira vez na sua história a maior renda do campo do Brasil.
Fonte: