Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

10/06/2014

Realizado indica expansão

Conforme estimativas e o realizado até março, Imea acredita em avanço da renda agropecuária neste ano, em MT

O Valor Bruto da Produção Agropecuária de Mato Grosso (VBP) fechou o primeiro trimestre deste ano em ascensão, quando comparado à estimativa realizada pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em dezembro do ano passado. Conforme o primeiro Relatório de Conjuntura Econômica divulgado pelo órgão, o maior estado produtor brasileiro, Mato Grosso, amplia sua estimativa do VBP, baseado no realizado nos primeiros três meses deste ano. “De acordo com os resultados obtidos no primeiro trimestre de 2014, Mato Grosso projeta gerar com sua produção R$ 43,05 bilhões neste ano, representando uma elevação de 5,9% na última estimativa realizada pelo Imea, em dezembro de 2013”. Se o valor se confirmar, será mais um recorde de receita para agronegócio local. 

Em valores totais, o VBP da agropecuária de 2014 será 8% maior que o total gerado no ano passado, que foi de R$ 39,88 bilhões. Entre as cadeias que mais se destacam estão a soja e a bovinocultura, que juntas são responsáveis por 69,1% do VBP total. O VBP é a renda gerada dentro das propriedades. O Imea calcula o indicador baseado no volume comercializado e os preços médios do período em análise, como nesse caso, o primeiro trimestre do ano. 

Conforme os técnicos do Instituto, acompanhado dos resultados positivos obtidos nas últimas safras, neste ano os produtores continuam a converter pastagem em agricultura, que aliado aos preços melhores, se projeta uma elevação de 12% no VBP da soja, alcançando em 2014, R$ 21,5 bilhões, contra R$ 19,2 bilhões do ano passado, um novo recorde. Por mais um ano, a commodity embala a economia estadual, especialmente, a pauta de exportações. 

Na bovinocultura, também é esperada uma elevação no seu VBP, porém muito mais relacionada à valorização da arroba, pois a tendência para o abate de animais é de queda. Com isso, a bovinocultura gerará R$ 8,3 bilhões em 2014.

E como chamam à atenção os analistas, a manutenção desse cenário positivo às commodities agropecuária de Mato Grosso, como algodão, milho, cana, leite, suínos e aves, depende da dobradinha câmbio e cotações internacionais.

“Tendo em vista a grande importância das exportações de soja, milho, algodão e carne bovina para a balança comercial mato-grossense e brasileira, a manutenção do dólar em patamares de R$ 2,30 é positiva. Neste sentido, desde janeiro de 2013 o dólar avançou 15%, saindo de R$ 2,03 e indo para R$ 2,33 em março deste ano. No mesmo período, as exportações do Estado saíram de US$ 1 bilhão para US$ 1,6 bilhão, aumento de 56%. Segundo o Relatório Focus, do Banco Central, a expectativa para o câmbio médio de 2014 é de R$ 2,34, demonstrando que para os próximos meses o patamar de R$ 2,30 deverá ser mantido. Mantendo este cenário favorável, as exportações de carne, algodão e milho deveram continuar alta”, bem como as divisas geradas.
Fonte: