Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

23/07/2014

Semestre tem leve alta no MT


O saldo positivo das exportações de soja em grão e dos cortes de carne bovina foi determinante para que Mato Grosso encerrasse o primeiro semestre do ano com receita superior à registrada em igual acumulado do ano anterior. Das principais commodities, apenas a proteína vegetal e a animal conseguiram superar a performance em relação a 2013. O faturamento das exportações estadual fechou com leve alta de 1,84% ante o contabilizado de janeiro a junho do ciclo passado. 

Conforme dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), as vendas externas do Estado somaram US$ 8,66 bilhões ante US$ 8,51 bilhões em igual momento de 2013. Mesmo apresentando leve alta em relação ao ano passado, a receita acumulada é recorde para o período e foi obtida sobre um ano excepcional como foi 2013, embalado pela forte demanda de milho, movimento que não se repetiu no primeiro semestre de 2014. Esse acumulado também traz outro recorde, em junho: o faturamento da pauta atingiu cifras inéditas para o mês: US$ 1,59 bilhão. 

As vendas de soja em grão foram responsáveis por 63,95% do total faturado pelo Estado e a carne bovina fechou o semestre com participação de 5,67%. Conforme o Mdic, o grão somou US$ 5,54 bilhões nos últimos seis meses ao movimentar 10,96 milhões de toneladas, expansão anual de 20,26%. Mesmo faturando bem menos que a soja, a receita originada com os cortes bovinos cresceu na comparação anual quase 30%, ao passar US$ 380,26 milhões para US$ 491,13 milhões. 

O milho que foi a vedete do primeiro trimestre de 2013, em especial, acumula perdas de 55,10% na receita, já que o valor embarcado passou de US$ 1,27 bilhão para US$ 570,96 milhões. Em volume físico a demanda passou de 4,54 milhões de toneladas para 2,88 milhões. 

DESTINO – Se a soja em grão segue como carro-chefe das exportações mato-grossenses por mais um exercício, a China continua sendo o principal parceiro comercial do Estado. Até junho, dos mais US$ 8,66 bilhões faturados, quase 44% vieram do comércio com os chineses, que compararam o equivalente a US$ 3,84 bilhões, ampliando em 4,26% as negociações em relação do primeiro semestre de 2013. 

O segundo maior consumidor da pauta estadual, com participação de 9,96% sobre o total faturado, estão os Países Baixos (Holanda), com compras de US$ 863,20 milhões, cifras praticamente idênticas ao registrado em igual período do ano passado. O terceiro, quarto e quinto maiores parceiros são na ordem Espanha, Indonésia e Venezuela com negócios de US$ 361,27 milhões, US$ 350,79 milhões e US$ 244,59 milhões, respectivamente. 

IMPORTAÇÕES – As compras realizadas pelos mato-grossenses recuaram na comparação com o acumulado de 2013. Conforme o Mdic, as importações passaram de cerca de US$ 1,01 bilhão para atuais US$ 899,26 milhões, retração de 11%. Todos os cinco principais itens do período – que se resumem aos insumos agrícolas para a nova safra e gás natural – tiveram a demanda reduzida e fecharam negativos na comparação anual. A maior delas foi o gás natural, -47%. As compras somaram US$ 62,66 milhões ante US$ 118,43 milhões. ​
Fonte: