Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

30/07/2014

Porto de Santos inicia testes operacionais com controle do acesso de caminhões


Em cerca de 20 dias, vão começar os testes operacionais do sistema automatizado que controlará o acesso de caminhões ao Porto de Santos. O plano das autoridades é conseguir, no início do próximo ano, supervisionar de forma automática a chegada de veículos graneleiros ao cais santista.

O controle será feito por sensores e câmeras instalados em rodovias e no complexo portuário e que vão identificar os caminhões com destino a Santos. Os dados obtidos por esses equipamentos serão transmitidos por um conjunto de antenas até a central de controle – que funcionará na sede da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp, a Autoridade Portuária) e irá verificar se o veículo chegará ao terminal no horário agendado previamente.

Para isto, até outubro, as antenas que funcionarão nas rodovias – ligando as zonas produtoras de grãos, no Centro-Oeste, até Santos – terão de ser instaladas. Parte já foi implantada. Esse serviço é coordenado pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL).

As antenas portuárias serão adquiridas no próximo mês. No dia 18, a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp, a Autoridade Portuária) abrirá as propostas da licitação organizada para a contratação da empresa que irá fornecer e fixar esses aparelhos, além de elaborar seu projeto de funcionamento e desenvolver, por 16 meses, as câmeras e os softwares necessários.

Essa concorrência será feita através do Regime Diferenciado de Contratações (RDC). Trata-se de um modelo de licitação mais ágil. Nele, as fases da concorrência são invertidas. Primeiro, há a análise das ofertas de preço. E apenas a concorrente escolhida tem seus documentos de habilitação analisados. Outro diferencial é que o Governo não precisa realizar os projetos da obra, repassando-os para a companhia vencedora.

O agendamento da chegada de caminhões foi a forma encontrada pelo Governo Federal para impedir a repetição dos congestionamentos que atingiram os acessos rodoviários à Baixada Santista no início do ano passado. O caos viário verificado na época foi causado pela chegada descontrolada de um grande número de veículos em direção ao Porto e às cidades da região.

O monitoramento – já a partir das estradas – dos veículos que seguem em direção ao cais santista integra o programa Cadeia Logística Inteligente, elaborado pela Secretaria de Portos (SEP) e que conta com R$ 115 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a ser implantado em vários portos.

O planejamento envolve os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e dos Transportes e a SEP. Para que ele seja colocado em prática, foi criado o Grupo de Trabalho Interministerial (GTI) para Gestão do Escoamento da Safra.

Programação

“Em janeiro, começa (o monitoramento), no mínimo, dos (caminhões com) granéis de origem vegetal, mas a ideia é começar com todos (os veículos de carga). Tudo automatizado e com a implantação de novo sistema, feito através de uma parceria com outros órgãos do Governo”, explicou Luís Cláudio Santana Montenegro, diretor de Planejamento Estratégico e Controle da Docas.

O plano, segundo Montenegro, é iniciar a fase de testes dos novos equipamentos e da tecnologia no final do próximo mês. “A gente vai olhar se o caminhão agendou, se chegou na janela (o período agendado). Vamos testar com os novos sistemas e os novos equipamentos”.
 
Concluídos os testes em agosto e comprovada a eficácia do sistema, a fase seguinte é a instalação de todas as antenas definitivas até setembro. Todas serão viabilizadas pela EPL.

Porto

No Porto de Santos, a Codesp cuidará da central de controle do sistema. Seus próprios funcionários vão operá-lo.

A ideia é que a Docas também instale etiquetas inteligentes nos caminhões que acessam o Porto. Os veículos serão recadastrados e também haverá leitura eletrônica das placas.

Todos os terminais privados da região vão precisar adquirir equipamentos como câmeras e leitores de caracteres (já presentes na maioria das instalações). A padronização da tecnologia e a comunicação com o sistema já foram definidos pela Autoridade Portuária.

“Fizemos a especificação técnica dos equipamentos. Ela está pronta e estamos enviando uma minuta para eles (os terminais) olharem. Ainda está sendo produzida uma minuta de resolução. Os terminais vão ter o mesmo prazo que a gente (Codesp) vai ter para comprar os equipamentos e instalar. Não é muita coisa porque eles já têm esses equipamentos. É aprimorar e colocá-los, comunicando-os com o sistema do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados)”, explicou Montenegro.

Para o diretor, a automação do controle do tráfego de caminhões no Porto eliminará o trabalho manual de inserção das informações no sistema, feito hoje pela estatal.
Fonte: