Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

17/10/2014

Comercialização da safra 13/14 de soja entra na reta final em MT

Cerca de 2% da safra 2013/14 de soja ainda restam para ser negociadas no Estado. Mesmo com uma produção recorde, as sobras do ciclo anterior não serão mais um problema ao complicado início da temporada 2014/15, já depreciada pela força da oferta que vem dos Estados Unidos e deve elevar em mais de 13% o volume mundial para o próximo ano. O mesmo cenário não se repete no milho, que mesmo com uma produção anual reduzida em relação ao ano passado, viu a demanda recuar e a safrinha 2015 deverá refletir o alto estoque de passagem.

O estoque final da safra passada, mesmo 16% maior quando comparado ao ciclo anterior, teve excelente liquidez interna e externa. Restam 241 mil toneladas do grão de um total de mais 26 milhões produzidos.

Conforme levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o cenário da oferta e demanda de soja, em Mato Grosso foi elevado no terceiro relatório da temporada 2013/2014, divulgado nessa semana, com aumento da oferta, da demanda e também dos estoques finais da oleaginosa nesta safra, tanto em relação ao relatório de julho, quanto aos números da safra anterior, a 2012/13.

“Assim, mesmo com a elevação dos volumes em geral, a oferta e a demanda da oleaginosa no ano-safra 2013/2014 estão conseguindo encontrar um bom ajuste, não deixando para a próxima safra estoques muito elevados, o que poderia ser mais um fator negativo no mar de preocupações que se tornou a safra 14/15”, apontam os analistas do Imea.

Como explicam os analistas, a oferta decorrente da produção foi ampliada em virtude da estimativa de safra realizada em agosto, que elevou para 26,29 milhões de toneladas a produção mato-grossense de soja no ciclo 2013/14. Como os estoques iniciais foram mantidos constantes, o aumento na oferta total da oleaginosa no comparativo com o relatório de julho foi de 1%, consequência da elevação da produção estadual.

Por sua vez, a demanda que consome esta grande produção foi elevada apenas no consumo interestadual, que se aproximou ao da temporada anterior, em 4 milhões de toneladas. As exportações e o consumo interno, fatores que mais pesam na demanda pela oleaginosa, foram diminuídos em virtude da redução dos volumes embarcados, bem como dos volumes do grão esmagados internamente, mas ainda permanecem 17% e 6%, respectivamente, mais elevados no comparativo com a safra anterior.

O MILHO - Em termos de oferta a safra 2013/14 de milho, em Mato Grosso, foi bastante enxuta em comparação com a safra anterior, a produção gerou no total 17,7 milhões de toneladas, mais 176 mil toneladas resultantes de estoques iniciais. Em relação à demanda, tem-se a expectativa de um recuo de 30% no consumo total comparada à da safra 2012/13, com as retrações nas exportações do cereal sendo as mais impactantes em seus números.

“Assim, com o desaquecimento da demanda mundial pelo milho mato-grossense, devido a uma expectativa de altos volumes de produção dos Estados Unidos, os produtores do cereal têm algo a mais para se preocupar, visto que o estoque final da safra 2013/14 pode chegar a 2,18 milhões de toneladas. Sendo assim, torna-se um dos grandes vilões desta temporada e também da próxima, pois tal volume disponível durante a entressafra pode fazer com que os preços, que geralmente se elevam neste período, permaneçam mais baixos que em anos anteriores”.

Mesmo com queda anual de 21% na produção de milho, os estoques finais apontam volume 1.141% maior: de 180 mil toneladas para 2,18 milhões.

Fonte: