Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

05/12/2014

Valorização do atacado de carne bovina no final do ano só perde para a de 2013

Alta nos preços dos cortes. Em uma semana, a valorização foi de 0,6%.
 
Apesar do cenário macroeconômico ruim, desde o final do outubro, a cotação média da carne sem osso acumulou alta de 7,6% no atacado.
 
Em sete anos, a evolução do período só perde para a registrada em 2013. Mesmo em 2008, quando a economia nacional crescia a taxas superiores a 5,0%, os preços dos cortes no último bimestre subiram 4,5%.
 
Sem contar que os cortes de traseiro, de maior valor agregado, subiram 14,8%, frente a 11,9% para as carnes de dianteiro em doze meses, comportamento típico de momentos em que a população está mais capitalizada.
 
Ou seja, os frigoríficos têm conseguido impor preços maiores aos cortes.
 
Porém, a margem não evolui. As indústrias que fazem a desossa têm obtido receita média 15,5% superior ao valor pago pela arroba do boi gordo, queda de dez pontos percentuais em um ano.
 
Com a pouca oferta de gado, que levou à valorização significativa da arroba, não há outra alternativa para a indústria a não ser reduzir suas margens, condição que se tornou básica para operar em 2014.
 
A alta da matéria prima tem sido repassada até o ponto em que o varejista, e depois o consumidor, conseguem absorver.
Fonte: