Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

17/12/2014

PAM 2013: Com preços convidativos, Brasil tem mais uma safra recorde de grãos em 2013

O Brasil colheu em 2013 uma safra recorde de grãos, cereais, leguminosas e oleaginosas de 188,1 milhões de toneladas, 16,1% acima da de 2012. As produções de soja (81,7 milhões de toneladas) e de milho (80,3 milhões de toneladas) foram as maiores em toda a série histórica, iniciada em 1970. Esses produtos estavam com preços favoráveis na época de plantio da safra de verão (soja) e segunda safra (milho 2ª), influenciando os produtores a ampliar os investimentos nas lavouras. As condições climáticas também favoreceram o desenvolvimento dessas lavouras nas principais regiões produtoras, principalmente no Centro-Oeste, onde o Mato Grosso, que obteve um aumento significativo da 2ª safra de milho em relação a 2012, teve um prolongamento do período chuvoso de verão.
 
O valor da produção da agricultura brasileira alcançou R$ 232,5 bilhões, aumento de 14,0% em relação ao ano anterior. A soja teve uma participação de 29,7%, a cana-de-açúcar, 18,5%, e o milho, 11,5%. Esses três produtos responderam por 59,7% do valor da produção total do país. Das 64 culturas investigadas, 33 tiveram produção menor que em 2012 e 31 tiveram aumento. A mandioca mostrou queda de 6,8% em razão da seca iniciada em 2012 na região Nordeste e que se prolongou em 2013 em importantes áreas produtoras. Apesar disso, em função do aumento dos preços, o valor da produção cresceu 28,5% em relação a 2012. Soja, com crescimento de 36,6%, cana-de-açúcar (6,2%), mandioca (28,5%), arroz (19,9%) e feijão (11,7%) foram as culturas que mais contribuíram para este aumento nos valores de produção.
 
Estas informações estão na Pesquisa da Produção Agrícola Municipal (PAM) 2013, que investiga os principais produtos da agricultura nacional. Com dados para Brasil, grandes regiões, estados e municípios, a pesquisa investiga 64 produtos. As informações completas estão disponíveis no link http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pam/2013/default.shtm.
 
 
Soja, cana-de-açúcar e milho têm produção recorde em 2013
 
Em 2013, o Brasil obteve mais uma safra recorde de soja, com 81,7 milhões de toneladas, 15,9 milhões de toneladas a mais que em 2012, um acréscimo de 24,1%. A área plantada foi de 27,9 milhões de hectares, 2,9 milhões de hectares a mais que no ano anterior, reflexo dos bons preços praticados no mercado na época de plantio. O principal produtor foi Mato Grosso, com 28,7% da produção nacional. A tonelada foi comercializada a R$ 843,50, em média, contra R$ 766,39 em 2012, tendo o valor da produção alcançado R$ 68,9 bilhões, 36,6% maior que em 2012.
 
A produção de cana-de-açúcar também foi recorde e alcançou 768,1 milhões de toneladas, crescimento de 6,5% frente a 2012, com acréscimo de 47.013.157 toneladas.
 
Quanto ao milho em grão, a safra brasileira de 2013 cresceu 12,9% frente a 2012, um acréscimo de 9.2 milhões de toneladas. Isso porque a produção da 2ª safra de milho aumentou substancialmente no Mato Grosso, em função de maiores investimentos nas lavouras e do clima favorável no outono.
 
Já a safra de trigo, apesar dos produtores terem ampliado a área de plantio, o clima não foi favorável no Paraná, que, com geadas tardias, teve queda drástica na produção. Os demais estados, principalmente o Rio Grande do Sul, mostraram crescimentos importantes, contribuindo para a elevação de 1.320.085 toneladas em relação a 2012 (crescimento de 29,9%). Houve, ainda, avanços tecnológicas dessa lavoura no país, especialmente no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
 
São Paulo continuou sendo o estado que mais contribuiu com o valor da produção nacional, embora sua participação tenha caído de 17,8% em 2012 para 16,0% em 2013. O estado concentra produtos como cana-de-açúcar, que teve aumento de 2,9% no valor da produção, e laranja, que, responsável por 74,2% da produção nacional, teve seu valor reduzido em 3,2%.
 
O Paraná passou do quarto para o segundo lugar no valor da produção, com R$ 31,9 bilhões. Sua participação aumentou de 12,3% para 13,8%, ultrapassando Mato Grosso e Minas Gerais. A produção foi 27,1% maior que em 2012, resultado, principalmente, do aumento safra da batata-inglesa, que teve valorização de 115,5% em 2013 . Soja, com valorização de 64,7%, cebola (50,1%), mandioca (49,1%) e tomate (46,8%) também contribuíram para esse movimento.
 
O Mato Grosso passou da segunda para a terceira posição em relação ao valor da produção, com aumento de 11,1% em comparação com 2012, enquanto o Rio Grande do Sul ficou na quarta posição, com sua participação aumentando de 8,8% em 2012 para 12,4% em 2013.
 
 
Produção de grãos se recupera da crise de 2008
 
O valor da produção dos cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) veio crescendo a partir de 2010, recuperando-se da crise internacional de 2008. Em 2013, este grupo alcançou R$ 122,5 bilhões, um crescimento de 16,1%, que só não foi maior devido às condições climáticas. Apesar disso, mais um recorde na produção foi estabelecido, já que foram produzidas 188,1 milhões de toneladas em 53,7 milhões de hectares, acréscimos de 16,1% e 5,6%, respectivamente. A soja e o milho representavam 85,4% desta produção.
 
Com melhores condições climáticas para a agricultura em 2013, a região Sul (73,0 milhões de toneladas) retomou o crescimento na produção de grãos, mas manteve a segunda posição no ranking nacional, com safra 9,7% superior à de 2012. A região Centro-Oeste produziu 78,4 milhões de toneladas (0,6% maior que em 2012), a Sudeste, 19,3 milhões de toneladas (1,2% a mais), a Nordeste, 11,9 milhões de toneladas (31,9% a mais), e a Norte, 5,4 milhões de toneladas (10,7% a mais). Arroz, milho e soja, somados, representaram 92,4% da produção e responderam por 86,3% da área colhida. Em relação ao ano anterior, houve acréscimos de 7,6% na área colhida de milho, 11,7% na de soja e decréscimo de 2,5% na de arroz.
 
Soja é o principal produto em 40 dos 50 maiores municípios produtores
A soja é o principal produto em 40 dos 50 principais municípios produtores, acompanhado da cana-de-açúcar em três municípios, do algodão herbáceo em três municípios e da uva, do tomate, da batata-inglesa e do milho, cada um aparecendo apenas em um município.
 
Sorriso (MT), com participação de 0,9% no valor da produção nacional, foi o maior produtor de soja, respondendo por 62,3% da safra municipal e por 4,5% no Mato Grosso. São Desidério (BA), primeiro em 2012, ocupou em 2013 o terceiro lugar, com redução de 25,8% no valor da produção. Esse município foi o maior produtor de algodão herbáceo, mas, em decorrência da estiagem e do aumento da incidência de pragas, teve as lavouras prejudicadas, havendo redução da produtividade. Os preços não foram muito afetados, por se tratar de algodão de alta qualidade.
 
 
Mesmo com safra recorde, soja tem rendimento médio menor em 2013
 
Com os maiores preços desde 2006, a soja obteve safra recorde. Foram produzidas 81.724.477 toneladas, um acréscimo de 24,1% em relação a 2012. Essa produção foi realizada em uma área de 27.906.675 hectares, o que representa 2.928 kg/hectare. Mato Grosso, com 28,7% da produção, ficou em primeiro lugar, expandindo a área colhida em 13,4% (7.913.687 hectares). Com isso, a produção foi elevada a 23.416.774 toneladas, 7,2% maior que no ano anterior. O rendimento médio das lavouras foi 5,4% menor em relação a 2012, passando de 3.129 kg/hectare para 2.959 kg/hectare. A queda do rendimento médio pode ser explicada pelo atraso das chuvas na época de plantio, excesso de chuva no momento da colheita e durante a expansão da área foram utilizadas com terras antes não destinadas para a agricultura, tais como pastagens degradadas. Dos 20 principais municípios produtores, 14 são de Mato Grosso. Sorriso, com safra de 1.926.930 toneladas, numa área de 616.900 hectares, teve rendimento médio de 3.124 kg/ha, 5,5% acima da média do estado. O alto nível tecnológico dos produtores contribuiu para a produtividade.
 
 
Dez dos 20 maiores municípios produtores de cana estão em SP
 
A produção de nacional de cana-de-açúcar foi recorde em 2013 e alcançou 768.090.444 toneladas, numa área colhida de 10.195.166 hectares, indicando um rendimento médio de 75.339 kg/ha. O crescimento da produção foi de 6,5%, quando comparado ao ano anterior. Em São Paulo a área colhida de cana alcançou 5.399.235 hectares e o rendimento médio foi de 80.397 kg/ha. O estado é o principal produtor, com 434.079.735 toneladas e participação de 56,5% no total nacional. A produção paulista avançou 6,9% frente ao ano anterior, reflexo da recuperação da produtividade dos canaviais. Dos 20 municípios maiores produtores de cana em 2013, dez localizam-se em São Paulo. Morro Agudo (SP), que foi o maior produtor nacional, teve safra de 7,9 milhões de toneladas.
 
 
Safra de mandioca é 6,8% menor que em 2012
 
A produção de mandioca alcançou 21,5 milhões de toneladas, declínio de 6,8% em relação a 2012, refletindo a continuidade da seca iniciada no ano anterior na região Nordeste, que reduziu a área plantada, a colhida, o rendimento médio, bem como a produção de raízes. A farinha e a mandioca de mesa aumentaram de preço, ficando menos acessíveis à população. A área colhida foi de 1,5 milhão de hectares, enquanto o rendimento médio ficou em 14.080 kg/ha. Em 2013, os seis estados com maiores safras responderam por 63,6% da produção, com destaques para o Pará e o Paraná, que produziram 4,6 e 3,8 milhões de toneladas, respectivamente. Bahia e Maranhão produziram 1,9 e 1,3 milhão de toneladas, com quedas de 15,7% e 13,4%, respectivamente, em relação a 2012, enquanto São Paulo e Rio Grande do Sul produziram 1,3 e 1,2 milhão de toneladas. O município maior produtor nacional foi Acará (PA), com safra de 304.000 toneladas. Em 2013, o valor da produção da mandioca alcançou 10,1 bilhões de reais.
 
 
Região Sul tem a segunda maior safra de arroz da série
 
A produção brasileira de arroz ficou em 11.782.549 toneladas (aumento de 2,0% em relação a 2012) e o rendimento médio em 5.007 kg/ha (4,6% maior que em 2012). A área colhida alcançou 2.353.152 hectares, indicando uma redução de 2,5%. A região Sul foi responsável por 78,9% da produção nacional, ou 9.296.148 toneladas (3,7% acima da de 2012), numa área colhida de 1.265.897 hectares (aumento de 2,0%). Já o rendimento médio de 7.344 kg/ha, ficou 0,1% maior. O Rio Grande do Sul, maior produtor nacional (68,7% do total), produziu 8.099.357 toneladas, numa área colhida de 1.083.863 hectares, obtendo rendimento médio de 7.473 kg/ha, maiores, respectivamente, 5,3%, 4,3% e 0,9%, quando comparados a 2012. Foi a segunda maior produção obtida pelo estado, inferior apenas à safra recorde de 2011. Uruguaiana (RS) foi o maior município produtor, com 640.484 toneladas.
 
 
Bahia tem safra de feijão 116% maior que em 2012
 
A produção de feijão em 2013, considerando-se as três safras, totalizou 2.892.599 toneladas, um aumento de 3,5% frente ao ano anterior. A área colhida foi de 2.813.506 hectares, contra os 2.709.485 hectares do ano anterior, representando um crescimento de 3,8%. O maior aumento na produção ocorreu na Bahia, sendo 116,3% maior que a de 2012. O feijão é cultivado em todo o território nacional. Os seis principais estados foram responsáveis por 78,2% do total produzido. O valor da produção aumentou 11,7% em relação a 2012, pois houve acréscimo de 7,9% no preço médio pago ao produtor, em função da menor oferta do grão. O Paraná manteve-se como principal produtor, com participação de 23,4% no total nacional e produção de 678.105 toneladas, 3,2% inferior à obtida em 2012, que chegou a 700.371 toneladas. A maior safra de feijão ocorreu em Unaí (MG), com 90 mil toneladas.
 
 
Milho tem safra recorde em 2013
 
A produção de milho alcançou recorde de 80.273.172 toneladas, um incremento de 12,9% em relação a 2012. Os maiores crescimentos na produção de milho ocorreram em Mato Grosso, com 20.186.020 toneladas (crescimento de 29,0%), Rio Grande do Sul, com 5.419.780 toneladas (71,8%) e Mato Grosso do Sul, com 7.573.324 (16,9%). Paraná, segundo produtor nacional, produziu 17.342.302 toneladas, apresentando crescimento de 4,8%. Outros produtores importantes foram: Goiás com 7.686.971 toneladas e Minas Gerais com 7.447.665 toneladas. Dos 20 municípios maiores produtores de milho, 13 são do Mato Grosso, quatro, de Mato Grosso do Sul e três, de Goiás. O maior produtor foi Sorriso (MT), com 2.657.940 toneladas.
 
 
Safra de algodão cai 31,2% em 2013
 
Com preços depreciados do algodão herbáceo no mercado internacional, aliado à maior rentabilidade da soja e do milho, o algodão herbáceo teve redução de 31,7% na área colhida, que saiu de 1.381.919 hectares em 2012 para 943.742 hectares em 2013. Em consequência, a produção nacional decresceu 31,2%, ficando em 3.417.196 toneladas. Mato Grosso foi o maior produtor de algodão (54,6% de participação), enquanto a Bahia ficou na segunda colocação (27,1%). Esses dois estados foram responsáveis por 81,7% da produção nacional. São Desidério (BA) foi o maior produtor nacional (361 mil toneladas).
 
 
Rio Grande do Sul ultrapassa Paraná e se torna o maior produtor de trigo
 
A produção de trigo de 5.738.473 toneladas foi 29,9% maior que em 2012, numa área colhida de 2.087.395 hectares, 9,1% superior à do ano anterior. O rendimento médio foi de 2.749 kg/ha, um crescimento de 19,0%. A maior produtora foi a região Sul, com 5.501.542 toneladas (32,8% maior que em 2012), responsável por 95,9% da produção, numa área colhida de 1.999.726 hectares (crescimento de 9,8%) e um rendimento médio de 2.751 kg/ha (20,9% acima do de 2012). O maior produtor foi o Rio Grande do Sul, que colheu safra recorde de 3.351.150 toneladas, 79,6% maior que a de 2012. Com isso, o estado tornou-se o primeiro produtor nacional, ultrapassando o Paraná, que teve um clima desfavorável em função de geadas tardias, que derrubaram a produção das lavouras. A área colhida foi de 1.059.032 hectares (10,1% a mais que em 2012), obtendo um rendimento médio de 3.164 kg/ha (crescimento de 63,0%). Dos dez municípios maiores produtores de trigo em 2013, sete são do Rio Grande do Sul. A maior produção ocorreu em São Luiz Gonzaga (RS), com 118.560 toneladas.
 
 
Em ano de safra baixa de café, MG aumenta sua produção em 0,4%
 
Embora 2013 tenha sido ano de safra baixa, considerando-se a bienalidade na produção, principalmente da espécie arábica, predominante no país, a safra brasileira de café alcançou 2.964.538 toneladas ou 49,4 milhões de sacas de 60 kg, indicando queda de 2,4% em relação a 2012. A área colhida chegou a 2.085.522 hectares e o rendimento médio 1.421 kg/ha. Em Minas Gerais, maior produtor brasileiro, com 54,0% do total nacional, a produção alcançou 1.601.864 toneladas ou 26,7 milhões de sacas de 60 kg, 0,4% maior que no ano anterior. Patrocínio (MG) teve a maior safra do país, com 52.386 toneladas.
 
 
Produção de laranja cai 2,6% em 2013
 
O Brasil se manteve como principal produtor e exportador mundial de laranja e suco concentrado e congelado (FCOJ), com produção de 17.549.536 toneladas. Apesar disso, o setor citrícola nacional, principalmente o voltado para a exportação de suco, enfrenta dificuldades severas desde 2006, obtendo queda de 2,6% em relação a 2012. São Paulo, que responde por 63,5% da área colhida do país e 74,2% da produção, reduziu sua área em 5,1% em comparação a 2012. O estado enfrentou problemas climáticos durante a florada. Apenas nesse estado a redução da produção foi de 2,6% em comparação com 2012. Dentre os 20 principais municípios com maiores produções, 16 estão em São Paulo. Casa Branca (SP) é o maior produtor nacional, obtendo neste ano 693.690 toneladas. Na contramão da queda na produção estão Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, que apresentaram alta de 6,9%, 3,5% e 7,9%, respectivamente. Paraná, com produção voltada para o mercado de frutas in natura e FCOJ, tem a terceira maior produção nacional, apresentando acréscimo de 2,3% na área em produção e aumento de 4,4% no rendimento.
 
 
Produção de frutas cresce 10,2% em 2013
 
Em 2013, o valor total da produção das 22 espécies frutíferas pesquisadas somou 23,2 bilhões de reais, um acréscimo de 10,2% em relação a 2012. A banana, com representação de 22,0% no valor total da produção frutícola e a laranja (20,5%), são as principais espécies. O valor da produção da banana aumentou 16,3% em relação a 2012. Outros produtos que apresentaram acentuados aumentos no valor da produção foram a castanha-de-caju (44,7%), a manga (37,4%), o limão (24,1%), o abacate (22,1%) e o coco-da-baía (15,3%). De todos os produtos frutícolas investigados, a laranja é o que apresentou a maior área colhida (719.360 hectares), seguida pela castanha-de-caju (708.808 hectares), a banana (490.628 hectares) e o coco-da-baía (259.015 hectares). O maior produtor de frutas do país foi Petrolina (PE), cujo valor da produção somou R$ 918 milhões (3,9% do total nacional), um aumento de 48,6% em relação a 2012. Só a produção de uvas respondeu por cerca de 48,1% do valor total da produção de frutas do município, também produtor de manga, goiaba e banana.
 
Fonte: