Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

30/12/2014

BR-163 em MT escoará 20% da safra de soja


O trecho da BR-163 que corta Mato Grosso será responsável pelo escoamento de 20% da safra 2014/2015 de soja a ser produzida no Brasil. A estimativa é que passem ao longo da rodovia 19 milhões de toneladas de soja mato-grossense (o Estado deverá colher cerca de 27,8 milhões de toneladas). Com a redução do custo logístico e menor tempo de estrada, gerando assim competitividade, a estimativa é que Mato Grosso possa vir a ampliar em até 8% a produção de soja e milho, pontua o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller.

Na safra 2014/2015 a previsão, segundo projeções do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), é que sejam colhidas 27,8 milhões de toneladas de soja e 14,5 milhões de toneladas de milho. 

Na visão de Neri Geller, Mato Grosso possui condições de crescer entre 5% a 8% a produção por safra, incremento estes que deverão ser possíveis com a melhoria do escoamento. Hoje, de acordo com a concessionária Rota do Oeste, que pertence à Odebrecht TransPort, 100% da Rodovia dos Imigrantes, também conhecida como BR-070 está recuperada. Além disso, aproximadamente 100 Km entre a divisa com Mato Grosso do Sul e Rondonópolis, também, já foram recuperados.

A BR-163 é a principal rota de escoamento para os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR). Até novembro o Estado exportou 14,134 milhões de toneladas de soja em grãos, das quais 7,199 milhões de toneladas de Mato Grosso saíram do Brasil pelo porto de Santos e 1,493 milhões de toneladas pelo porto de Paranaguá.

Um dos pontos críticos da rodovia era o trecho entre o Posto Gil e Nova Mutum. Conforme o diretor técnico da Concessionária Rota do Oeste, Jackson Lisboa, tal trecho, que se encontrava deteriorado, também já está recuperado. “Este era um segmento muito desgastado e que precisava de intervenção urgente. Havia riscos de acidentes em virtude dos buracos”.

Fonte: