Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

02/01/2015

Investimento em recuperação de pontes chega a R$ 72 milhões em Mato Grosso


As ações anuais de construção e manutenção de pontes realizadas pelo Governo do Estado, este ano, através da Secretaria de Estado de Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu) foram as maiores dos últimos cinco anos no segmento de madeira. Foram manutenidos pouco mais de 7,2 mil metros de pontes de madeira além a conclusão de 630 metros de pontes de concreto. O investimento total de ambos os segmentos foi de cerca de R$ 72 milhões. Outras demandas como contratação de obras e empréstimo para execução de programa de pontes também foram realizadas este ano.

No segmento de madeira, cerca de 89 obras contratadas realizaram a manutenção entre os serviços de reconstrução e reforma. Foram pouco mais de 2,8 mil metros de pontes reconstruídas e 4,3 mil metros reformadas em todas as regiões de Mato Grosso. Foram concluídas seis pontes de concreto pelas rodovias estaduais MTs 456, 437 e 220 que somam 630 metros. A construção da ponte sobre o rio Aripuanã, na rodovia MT-206, entre o município de Colniza e o distrito de Guariba, está com o estágio físico de 40% dos serviços concluídos. Com 350 metros de extensão, a ponte de madeira é considerada a maior da América Latina do segmento e a previsão da substituição para concreto é de 365 dias consecutivos.

Além das ações anuais o Governo do Estado assinou um convênio junto ao Banco do Brasil onde foi viabilizados R$ 470 milhões para execução do Pro-Concreto. O programa contém 13 lotes de obras, já licitadas pela Setpu, que somam pouco mais de 15,25 mil metros de 230 pontes por todas as regiões do estado. Mato Grosso é um dos lugares com maior volume de água doce do mundo, sendo inserido em duas das maiores bacias hidrográficas do país, a Amazônica e a Platina e, para dar vazão a essa quantidade de água, inúmeros rios que comportam mais de 3 mil pontes cortam o território mato-grossense como artérias naturais.
Fonte: