Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

12/01/2015

Receita de exportações de carne suína cresce 16,9% em 2014


Em um ano marcado pela expansão dos embarques para a União Aduaneira, a receita cambial das exportações brasileiras de carne suína registrou elevação de 16,9% nos doze meses de 2014, na comparação com o desempenho do ano anterior, totalizando US$ 1,6 bilhão.  Os dados foram levantados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que destaca ainda o forte crescimento da receita do ano em real, chegando a R$ 3,7 bilhões – 27,1% superior ao total de 2013.

O saldo é resultado dos embarques de 505,7 mil toneladas de carne suína durante todo o ano passado, desempenho 4% inferior ao total exportado em 2013.  Os levantamentos consideram dados referentes a cortes (408,4 mil toneladas), miúdos (59,9 mil toneladas), enchidos (11,6 mil toneladas), carcaças (10 mil toneladas), preparações (9,4 mil toneladas) e outros produtos (6,2 mil toneladas).

“O comércio internacional de 2014 foi fortemente pressionado pelo cenário político do leste europeu e pela ocorrência de focos de Diarreia Suína Epidêmica pelo mundo.  Neste contexto, os preços em dólar da carne suína brasileira foram impactados, acumulando elevação de 21,8% no ano”, detalha o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra.

Neste ano, a Rússia – maior importadora– foi responsável pelos embarques de 186,5 mil toneladas em 2014, desempenho 38,3% superior ao de 2013.  A receita dos embarques para o destino quase dobrou no período, chegando a 96,8% de elevação, com US$ 810,5 milhões.

“O cenário político no leste europeu foi determinante para o saldo do setor em 2014.  Esperamos que os níveis se mantenham durante este ano, mesmo com a situação econômica enfrentada hoje pela Rússia”, destaca o vice-presidente de suínos, Rui Eduardo Saldanha Vargas.

Para Hong Kong, segundo maior destino, foram exportadas 110,9 mil toneladas no período (-8,5%), com receita de US$ 278,9 milhões (-3,5%).  Angola, no terceiro posto, importou 52,2 mil toneladas (+4,3%), chegando à US$ 94 milhões (+1,7%).

Um dos destaques em 2014, Singapura registrou crescimento 12,2% em volumes, com total de 32,2 mil toneladas.  A elevação foi ainda maior em receita, com US$ 95,2 milhões, resultado 14,5% superior em relação a 2013.

“Apesar do bom desempenho do setor neste ano, temos ambições maiores, focadas na abertura de novos mercados para a carne suína do Brasil, reduzindo a dependência do leste europeu”, completa Francisco Turra.

Em 2015 – As projeções da ABPA indicam para este ano um total de 520 mil toneladas sejam embarcadas até dezembro. “Pelo menos até a metade do ano, acreditamos que a Rússia deverá manter as importações nos mesmos níveis”, ressalta Rui Vargas.

Em outros mercados, há expectativa de crescimento de vendas para os mercados da Ásia, com destaque para a China e o Japão. Para expandir nossos embarques, estamos focando nossos esforços na abertura do mercado da Coreia do Sul.  Também há boas perspectivas para abrir os mercados do México e do Canadá e, principalmente, o retorno das vendas para a África do Sul.”, aponta Francisco Turra.
Fonte: