Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

15/01/2015

Produtores de Mato Grosso estão otimistas com a safra de soja 2014/2015


O clima de boa expectativa para a safra de soja 2014/2015 marcou a passagem da Caravana Soja Brasil por Querência (724 km de Cuiabá). O presidente do Sindicato Rural do município, Gilmar Dell’Osbel é um dos mais otimistas. Ele acredita que esta colheita será melhor que a anterior. "Se tudo ocorrer dentro da normalidade, teremos uma média de 56 sacas de soja por hectare em Querência, e alcançaremos cerca de 400 mil hectares de área plantada", analisa.

Na terça-feira à noite, cerca de 120 produtores rurais compareceram ao Centro de Tradições Gaúchas (CTG) do município para ouvir as novidades trazidas pela equipe do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) sobre a Agricultura de Precisão. Em 2015 a instituição de ensino rural passa a ofertar um treinamento para qualificar a mão de obra para esta tecnologia. E na manhã de quarta-feira, aconteceram as oficinas do Sistema Integrado do Cadastro Ambiental Rural (Sicar) na carreta Carrega Brasil.

Poucos produtores da região investem na área de Agricultura de Precisão, mas de acordo com o professor Jose Paulo Molin, um dos palestrantes da noite, não há como fugir da tecnologia. "Os produtores podem até adiar a implantação, mas para se manterem competitivos, com alta produtividade na mesma área, será preciso tecnificar a produção", aponta. 

Querência é um município que passou por um processo de expansão da agricultura, com 23 anos de emancipação se orgulha em afirmar que é a 17ª economia do Brasil baseada na agricultura, a 10ª colocada quando se trata de Mato Grosso e o 6º maior produtor de soja do Estado. "Se o produtor souber tirar proveitos das uniformidades das propriedades, estudando as informações que as análises de fertilidade e de solo lhe dão, poderão intensificar a produção na mesma área", exemplifica. 

Para o engenheiro agrônomo e Doutor em Ciências do Solo, Alan Acosta, outro palestrante do evento em pouco tempo o insumo mais importante será a informação e as pessoas serão mais importantes que as máquinas. "Neste contexto o papel do Senar é de extrema relevância, pois será o suporte para a qualificação da mão de obra que opera a tecnologia".

O produtor rural Neuri Wink atua há 24 anos na região. Sua propriedade, a Fazenda Certeza, tem este ano uma área plantada de 1700 hectares de soja. Ele investe em milho safrinha e confinamento de gado também para diversificar a produção e ouviu atento a todas as informações repassadas pelos palestrantes. "A Agricultura de Precisão é uma tecnologia que veio para nos permitir sonhar com a otimização da produção, pois vontade a gente tem, mas nossos maiores empecilhos são os custos e as variáveis da produção", desabafa.
Fonte: