Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

16/01/2015

Estradeiro avalia principal rota de escoamento de MT


A caravana do Movimento Pró-Logística percorrerá 730 quilômetros no Estradeiro BR-163/364 para dar início ao calendário de averiguação das condições dos corredores de escoamento de produção de Mato Grosso de 2015. O evento começa na próxima quarta-feira (21), pela BR-163, saindo de Cuiabá em direção a Sinop, e do norte do Estado segue até Rondonópolis, sul de Mato Grosso, com encerramento no dia 23. Pelo menos 80% da produção agrícola de Mato Grosso são transportados pelas duas BRs em direção ao Sul e Sudeste brasileiros.

A importância do percurso é avaliar o momento do início do escoamento da soja no Estado na safra 2014/2015 justamente no principal corredor, formado pelas BR-163 e BR-364, que se sobrepõem em diversos trechos, em direção ao sul do Estado.

Desde junho do ano passado boa parte do trecho está sob a concessão da empresa Rota do Oeste, responsável por fazer a duplicação da rodovia BR-163. Técnicos da empresa acompanharão a viagem, assim como engenheiros do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e membros do Movimento e da Associação de Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja).

No primeiro dia do percurso, a Caravana sai de Cuiabá e segue para Sinop. No segundo dia, sai de Sinop por volta das 8 horas e vai até Rondonópolis, atravessando as BR-163 e BR-364. Os dois trechos prioritários das obras da Rota do Oeste (entorno de Rondonópolis e região do Posto Gil, em Diamantino) serão averiguados já nesse dia. Na manhã seguinte, a viagem segue até o canteiro de obras da empresa Rota do Oeste, que fica no Km 95 da BR-163, a cerca de 20 Km de Rondonópolis. O grupo retorna a Cuiabá na sequência.

Concessão - A BR-163 é a principal via de escoamento de grãos de Mato Grosso. De acordo com dados da Rota do Oeste, dos cerca de 70 mil veículos que passam diariamente pela rodovia, quase 70% são de carga. Pela concessão serão duplicados 453,6 Km nos primeiros cinco anos de trabalho. Nesse primeiro momento, o investimento previsto é de R$ 2,8 bilhões. Nos 30 anos de concessão, a quantia a ser aplicada chegará a R$ 5,5 bilhões.
Fonte: