Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

12/02/2015

Presidente da FAERN pede reestruturação e retomada da política de venda de milho para a região da Sudene

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (FAERN), José Vieira, reuniu-se nesta terça-feira (10), em Brasília, com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Kátia Abreu, para pedir a reestruturação e a retomada do programa de vendas em balcão de milho com preços diferenciados para a região da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Outro tema abordado por eles foi a efetivação de convênio entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) do Rio Grande do Norte e o MAPA.
          
Vieira explica que o Programa de Venda em Balcão Especial, que permite a aquisição de estoques públicos a preços diferenciados, foi suspenso em dezembro. A venda é essencial para garantir a suplementação alimentar dos animais em meio a um período de estiagem que teve início em 2012 e deve se agravar na safra 2014/2015 em função dos efeitos do fenômeno “El Nino”. A bovinocultura é a principal atividade afetada pela seca na região. A Ministra Kátia Abreu, ao receber o documento da FAERN, informou que o Governo está monitorando a situação e “dará prioridade ao pleito de forma a que a situação seja resolvida o mais rápido possível”.

A proposta da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) apresentada por José Vieira à ministra é de retomada do programa com preços especiais até 31 de junho de 2015, quando será possível ter ideia do panorama climático para o abastecimento e produção de volumosos na região da Sudene. Além do Rio Grande do Norte, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e parte dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo estão na área de abrangência da superintendência.

Levantamento feito pelas federações estaduais de agricultura e pecuária da região mostra que o preço da saca de 60 quilos de milho comercializada no Nordeste varia entre R$ 38 e R$ 42. Há relatos de que os produtores preferem pagar tais preços a recorrer aos estoques públicos oficiais oferecidos por meio do programa de venda em balcão. Ele explica que, para participar do programa, os produtores precisam estar cadastrados na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), antecipar os pagamentos e contratar o frete.
          
Assim como a ampliação do prazo do programa especial, a diminuição da burocracia está entre as propostas apresentadas pelo setor produtivo à ministra Kátia Abreu. Outra é a autorização para que médios pecuaristas, também prejudicados pela estiagem, possam comprar milho do governo. A proposta é que pequenos produtores possam comprar até uma tonelada de milho a R$ 23,10 por saca. Para os demais, a sugestão é que o limite de aquisição oscile até seis toneladas, com preço de R$ 28 por saca.
          
Parceria - Assinado em 2013, o convênio entre o SENAR-RN e o MAPA visa fortalecer a bovinocultura de leite desenvolvida por pequenos produtores do estado. Ações de mobilização e diagnóstico, capacitação por meio de cursos e oficinas, além de assistência técnica nas áreas de manejo, gestão, associativismo e organização social estão entre as iniciativas previstas na parceria. Diante da importância das ações, o presidente da FAERN pediu à ministra Kátia Abreu que o convênio seja efetivado.

 

Fonte: