Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

19/02/2015

Soja Plus avança em MT

O Programa Soja Plus vem atuando no sentido de capacitar os sojicultores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia e de Minas Gerais, melhorando a gestão econômica, social e ambiental das fazendas. O Soja Plus começou em Mato Grosso, principal produtor de soja do País.

No I Workshop de Planejamento Soja Plus 2015, realizado em fevereiro, em Cuiabá, foram apresentados os resultados da pesquisa inédita de avaliação dos produtores participantes do programa. As notas médias oscilaram de 8,7 a 10, dependendo das regiões do estado.

A avaliação foi feita principalmente em relação aos resultados das visitas técnicas individuais às fazendas, um dos principais pilares do programa. Nessas visitas, os supervisores de campo aplicam uma lista de indicadores econômicos, sociais e ambientais e verificam em que aspectos a propriedade melhorou e nos quais ainda precisa se fortalecer. São 143 indicadores socioambientais e de construções rurais que avaliam o desempenho das fazendas.

Nas visitas técnicas, também, os supervisores de campo instalam placas de orientação sobre saúde ocupacional e segurança no trabalho, controlam a entrega de documentos e Equipamentos de Proteção Individual, oferecem planos de emergência, vídeos sobre segurança e caixas de primeiros socorros.

“As principais dúvidas dos produtores são referentes a pequenos detalhes das legislações”, conta Cristiane Neves, analista de projetos da Aprosoja e ex-supervisora de campo, função que exerceu por quase três anos. Os produtores estão mais preocupados em conhecer e aplicar as legislações social e trabalhista porque a fiscalização se intensificou.

O Soja Plus se preocupa em informar os produtores sobre essas normas que eles devem obedecer. Com isso, os sojicultores não só aperfeiçoam a gestão de suas propriedades como evitam multas aplicadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

A consulta abrangeu produtores de cidades das regiões Médio Norte (Lucas do Rio Verde, Nova Mutum e Diamantino); Norte (Sorriso, Sinop e Vera); Oeste (Tangará da Serra, Sapezal e Campo Novo do Parecis); Leste (Nova Xavantina, Canarana e Querência); e Sul (Rondonópolis, Primavera, Campo Verde e Jaciara). A amostragem foi realizada em 30 fazendas. No Médio Norte, a média foi de 9,5; no Norte, 10; no Sul, 8,7; no Oeste, 9,5. A média total ficou em 9,4.

O I Workshop também contou, pela primeira vez, com a participação do Banco do Brasil, que assinou parceria com o Soja Plus em 4 de dezembro de 2014. “2015 será um ano de planejamento do Banco do Brasil em relação ao Soja Plus. Nós vamos elencar as prioridades na parceria com o banco”, diz Bernardo Pires.

GARGALO

Segundo Cid Sanches, gerente de planejamento da Aprosoja-MT, o principal gargalo do Soja Plus no estado é a dificuldade de retornar às propriedades que já receberam uma visita técnica e, ao mesmo tempo, continuar atendendo as novas demandas.

Os associados à Aprosoja-MT somam 5.500 propriedades com uma produção de 25 milhões de toneladas. Desse universo, cerca de quatro mil fazendas, em geral de porte médio, têm interesse em participar do programa. As propriedades rurais mais atraídas pelo Soja Plus estão localizadas ao redor da BR 163, nos municípios de Nova Mutum e Sinop, no Médio Norte e Norte do estado, justamente as regiões que atribuíram notas mais elevadas ao Soja Plus na pesquisa de satisfação recentemente aplicada.

 

Fonte: