Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

04/09/2013

Dólar em alta faz preço futuro da soja crescer 16,6% em Mato Grosso

​Agosto terminou com alta nos preços da soja, impulsionado pelo dólar e pela falta de chuvas nos Estados Unidos, indicou o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em seu relatório semanal. O contrato com vencimento para setembro de 2013 registrou valorização de 15% no mês passado. O para março de 2014, mesmo inferior, chegou a 11% no período.

Em seu informe os analistas do Instituto dizem que "o preço futuro da soja oferecido em Mato Grosso teve elevação de 16,6% no mês de agosto, apresentando variação maior que o contrato referência em Chicago (março 2014). Esse movimento mais intenso se deve ao aumento do dólar, que impulsionou os preços internos, visto que este tem um impacto direto nos preços futuros em Mato Grosso".
 
Conforme o relatório do Imea, em média, cada centavo que se eleva na moeda norte-americana reflete em cerca de R$ 0,30/saca de soja no valor oferecido aos produtores.
 
O Instituto Mato-grossense detalha também que a valorização do preço da soja se iniciou após o relatório de oferta e demanda do USDA do mês de agosto, devido à projeção da produção de soja dos EUA ter caído para 88,6 ante 93 milhões de toneladas, elenca.
 
Em trecho de seu boletim semanal, os analistas frisam também que, porém, "atualmente o grande motivador da alta em Chicago é a falta de chuva nas lavouras norte-americanas".
 
"Em algumas regiões há quase três semanas não chove, e em outras não ocorrem chuvas expressivas há mais de um mês", descrevem os analistas. E a previsão do tempo para os EUA para a próxima semana também não são animadoras, diz o Imea.
 
"Desta forma os produtores mato-grossenses têm que ficar atentos às mudanças no câmbio e também aos impactos que a falta de chuvas irá causar nas lavouras norte-americanas, visto que o cenário de preços mundial da oleaginosa parece estar mudando de tendência".

Autor:
Leandro J. Nascimento

Fonte: