Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

11/03/2015

Mercados da África, Ásia e Oriente Médio mantêm positivos os níveis das exportações brasileiras de frango em fevereiro


Embora impactados pelos bloqueios nas estradas da Região Sul, os exportadores de carne de frango mantiveram ritmo positivo em fevereiro e reduziram o desempenho negativo acumulado em 2015. Os principais responsáveis por isto, segundo números levantados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), foram os embarques de países como África do Sul, Coreia do Sul, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e China.
 
Somente estes cinco mercados, juntos, acumularam uma elevação de 26,4 mil toneladas nos embarques realizados no segundo mês do ano, totalizando 128,76 mil toneladas.
 
“Apenas para a Arábia Saudita foram embarcadas 58,2 mil toneladas no mês, 11% a mais em relação a fevereiro de 2014.  O mercado é o maior importador de carne de frango do Brasil”, detalha o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra.
 
Dentre os outros países que figuram entre os 10 maiores compradores de carne de frango do Brasil em fevereiro, China e Emirados Árabes importaram volumes semelhantes, respectivamente 20,6 mil toneladas (+28%) e 20,7 mil toneladas (+20%).
 
“Também foi notável, neste mês, o desempenho das vendas para a Coreia do Sul, com 11,8 mil toneladas, 198% superior ao registrado no segundo mês do ano passado”, explica vice-presidente de aves, Ricardo Santin.
 
Ao todo, considerando frango inteiro, cortes, salgados, processados e embutidos/enchidos, foram exportadas 302,1 mil toneladas no mês, resultado 1,6% maior em relação a fevereiro de 2013. Houve elevação, também, na receita em Reais, de 10,3%, com R$ 1,458 bilhão. Na receita cambial, houve queda de 6,7%, com US$ 518,1 milhões.  
 
Já no acumulado do ano, foi registrada redução de 4,2% nos volumes embarcados durante os dois primeiros meses de 2015, chegando a 579,8 mil toneladas.  O resultado gerou receita cambial 10,6% inferior ao total do ano passado, com US$ 1,01 bilhão.  O resultado em Reais, entretanto, foi 2,4% maior, atingindo R$ 2,761 bilhões.
 
No levantamento por produto, os cortes seguiram como principais produtos da pauta, com 331,1 mil toneladas no primeiro bimestre, desempenho 1,4% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. Em segundo lugar, os produtos inteiros totalizaram 184,1 mil toneladas (-10,2%). De industrializados e de carnes salgadas foram embarcadas, respectivamente, 24,7 mil toneladas (-2,1%) e 27,5 mil toneladas (-16%). Por fim, de enchidos foram 12,3 mil toneladas (-21,4%).
 
Considerando as exportações por região (excluindo o saldo de enchidos), o Oriente Médio seguiu como principal destino dos embarques, com total de 216 mil toneladas nos dois primeiros meses deste ano, volume 0,3% inferior ao mesmo período de 2014.  Em segundo lugar, a Ásia foi responsável pelos embarques de 165,8 mil toneladas (-5,8%). No terceiro posto, a África importou 72,2 mil toneladas (-9,4%).   Para a União Europeia – quinto principal destino – foram exportadas 61,4 mil toneladas (-11,5%). Os países das Américas importaram 35,9 mil toneladas (+4,6%). Completam a lista os países da Europa Extra-UE, com 15,5 mil toneladas (+21,8%) e da Oceania, com 355 toneladas (-2,1%).

 

Fonte: