Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

13/03/2015

Em encontro com secretário de Comércio Exterior da Bélgica, presidente da CNA defende mais acordos bilaterais para o Brasil


O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva Júnior, defendeu, nesta quarta-feira (11/3) que o Brasil faça mais acordos comerciais bilaterais, independente das negociações no âmbito do Mercosul, para ampliar os mercados para o agronegócio brasileiro. A manifestação foi feita em reunião com o secretário de Estado de Comércio Exterior da Bélgica, Pieter de Crem, na sede da CNA, em Brasília (DF), ao avaliar as discussões em torno do acordo entre o bloco sul-americano e União Europeia, destino de 22% das exportações brasileiras do setor.

“Hoje o Mercosul é um impedimento para o acordo”, disse João Martins. O presidente da CNA defendeu, também, um sistema de defesa sanitária cada vez mais forte para atender às exigências do mercado internacional, e destacou o esforço do governo brasileiro para garantir a qualidade dos produtos brasileiros. Uma das medidas neste sentido é a Plataforma de Gestão Agropecuária (PGA), maior banco de dados do mundo de monitoramento do rebanho bovino brasileiro, com informações em tempo real sobre a movimentação e comercialização dos animais em território nacional. Este sistema foi desenvolvido pela CNA e entregue ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

À comitiva belga, João Martins, relatou, ainda, o trabalho realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) de assistência técnica e extensão rural, com o objetivo de ampliar o número de propriedades com produção em escala comercial. Hoje, das 5,2 milhões de propriedades rurais no país, 300 mil respondem por 78% do Valor Bruto da Produção (VBP), que é o faturamento bruto das atividades “dentro da porteira”. Para os próximos anos, a meta é ampliar em 800 mil produtores este contingente. “Não bastam apenas políticas públicas e financiamento. O produtor precisa de assistência técnica”, ressaltou.

Outro programa do SENAR, destacado pelo presidente da entidade, foi o Sertão Empreendedor, voltado para o semiárido nordestino, onde os produtores recebem capacitação e as orientações necessárias para produzir com competitividade nas regiões mais afetadas pela seca.

Agenda – O secretário de Comércio Exterior da Bélgica está no Brasil para uma série de compromissos em Brasília e São Paulo. Além da CNA, Pieter de Crem, reuniu-se com o ministro dos Portos, Edinho Araújo. Para a quinta-feira, estava previsto que a comitiva do país europeu fosse recebida pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu. Um dos temas da pauta com a ministra era a exportação da pêra belga para o Brasil. A Bélgica é a maior exportadora mundial da fruta.

A balança comercial do agronegócio entre Brasil e Bélgica teve, em 2014, superávit de US$ 1,91 bilhão favoráveis aos brasileiros, com as exportações totalizando US$ 2,11 bilhões, e as importações somando US$ 200 mil. O setor respondeu por 64,3% das vendas externas totais brasileiras para o país europeu no ano passado. Os principais produtos adquiridos pelos belgas são sucos, café, fumo e derivados, produtos florestais e carnes.

 

Fonte: