Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

27/03/2015

Grupo estuda fim de gargalos na operação da soja


Para eliminar definitivamente os gargalos operacionais do escoamento da safra agrícola no Brasil, um grupo acadêmico de Santos prepara um mapeamento integrado de toda a cadeia logística portuária do grão. A ideia é integrá-lo à iniciativa internacional conhecida como Governança do Trabalho e Logística para a Sustentabilidade (Golls), promovida pelo Banco Mundial.

A pesquisa envolve professores e alunos da Strong Esags e tem ênfase na avaliação dos processos de produção, transporte e embarque da soja no Porto de Santos. Vai além: atravessa o oceano para também identificar como ocorre a distribuição do produto em processos internos de complexos portuários de outros países, como os localizados na Europa. 

O estudo não busca, necessariamente, a solução de gargalos estruturais. A intenção é eliminar entraves em todas as etapas e que integram, por exemplo, relações políticas e entre empresas, conforme explica o professor Luciano Schmitz, que coordena os trabalhos de pesquisa.

“O objetivo é propor direcionamentos que possam auxiliar na excelência operacional”, afirma o acadêmico. Atualmente, os problemas relacionados à conexão produtores-porto são solucionados de forma isolada, com destaque às obras de infraestrutura realizadas para sanar entraves pontuais ou em períodos de graves crises.

Um nicho do estudo tem foco nas pessoas. “São elas que estão no meio disso e, às vezes, são esquecidas. Quem colhe, quem transporta e quem embarca”, lembra Schmitz. Hoje, diz, a estrutura do escoamento interfere diretamente nas condições de trabalho, o que, ao final do processo, pode reduzir a eficiência dos setores logístico, agrícola e portuário.


Primeiro

Trata-se de um estudo inédito no País. É inspirado por uma iniciativa semelhante, mas focada no escoamento da laranja e do açaí, realizada pelo economista, sociólogo e pesquisador australiano Lee Pegler, do Instituto Internacional de Estudos Sociais de Erasmus, na Universidade de Roterdã (Holanda).

Ao vir para o Brasil, no início do ano passado, para um seminário sobre logística portuária, o acadêmico anunciou o trabalho de pesquisa gerencial sobre o escoamento da laranja. O projeto inspirou um aluno da faculdade santista, que apresentou à proposta aos professores. A partir daí, ocorreu um convênio entre as duas instituições.

O objetivo maior é apresentar os resultados do trabalho ao projeto de Governança do Trabalho e Logística para a Sustentabilidade (Golls), que integra uma ação do Banco Mundial.

A previsão, de acordo com o professor Luciano Schmitz, é de que o projeto, cujas pesquisas já começaram, seja desenvolvido ao longo deste ano e com resultados apresentados no primeiro semestre de 2016.

 

Fonte: