Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

02/04/2015

Força de trabalho feminina auxilia o agro em Mato Grosso


Março terminou e para fechar este que é considerado o mês da mulher o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT) fez um balanço da participação feminina das atividades da instituição.

Em parceria com os Sindicatos Rurais, o SENAR-MT atendeu 27.668 mulheres em diversos treinamentos ofertados pela instituição em 2014. O número representa 48% do total de atendimentos realizados pela instituição no ano passado.

A força de trabalho do SENAR-MT também tem boa participação de mulheres. Atualmente a entidade possui 128 colaboradores, sendo 76 mulheres. Os instrutores credenciados junto ao SENAR são 237, deste total 82 são do sexo feminino. E em uma das áreas tradicionalmente ocupadas por homens, a de Mecanização Agrícola, passa a ter uma representante mulher em 2015.

A jovem Camila Gaspar, 21 anos, acabou de passar pelo processo de credenciamento do SENAR-MT e se tornou uma prestadora de serviços educacionais da instituição. Camila irá ministrar treinamentos de Tecnologia de Precisão em Máquinas Agrícolas. "Estou animada com este novo desafio de levar o conhecimento ao campo", afirma a jovem.

Camila se formou há dois meses em Mecanização em Agricultura de Precisão (MAP) pela Faculdade de Tecnologia de Pompeia - Fatec Shunji Nishimura, no Estado de São Paulo. Ela foi aluna da quinta turma de MAP da instituição.

O curso iniciou com 40 alunos, sendo 10 mulheres. No final de três anos, apenas 17 alunos se formaram, sendo três do sexo feminino. Além da dificuldade do próprio curso que deixou mais da metade da sala para trás, as mulheres enfrentam uma adicional: o preconceito. "Às vezes a gente vive situações preconceituosas pelo fato de ser mulher. Na própria família a gente escuta que a profissão é coisa de homem, porém este sempre foi meu sonho e não abandonaria por causa de piadinhas", diz a jovem decidida.

De acordo com Camila, o mercado de trabalho em São Paulo já está saturado, por esta razão ela sabia que para seguir na carreira que escolheu era preciso deixar os familiares em Piratininga, sua cidade natal e enfrentar uma mudança. "Escolhi Mato Grosso por dois motivos, primeiro por ser um estado referência em produção agrícola e depois porque durante a faculdade vi uma apresentação do SENAR-MT  e me encantei com a missão da instituição de levar conhecimento ao homem do campo", revela.

"Meu objetivo é ajudar o SENAR-MT a difundir o conceito de Agricultura de Precisão, por meio dos treinamentos que a instituição oferece. Uma coisa que é preciso deixar bem claro é que não há agricultura de precisão se não houver precisão na agricultura e com qualificação os trabalhadores e produtores rurais conseguirão tirar maior proveito desta tecnologia", resume.

 

Fonte: