Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

28/05/2015

Kátia Abreu pede harmonização sanitária e agilidade em comércio com UE


A ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) defendeu nesta quarta-feira (27) a harmonização de regras sanitárias e agilidade nas relações comerciais entre Brasil e União Europeia. Em viagem oficial a Bruxelas (Bélgica), ela se reuniu com o Comissário Europeu para a Saúde e a Segurança de Agricultura, Vytenis Andriokaitis.

O governo brasileiro negocia com a União Europeia um acordo que facilitará os entendimentos bilaterais nas questões sanitárias e fitossanitárias. O objetivo é harmonizar as regras e, assim, abrir mercados.

“Este acordo significa que teríamos harmonização de regras sanitárias para autorização de comércio, desburocratização e agilidade. Estou otimista”, disse a ministra, após a reunião.

O comissário Vytenis Andriokaitis reconheceu que o Brasil é um parceiro estratégico e concordou com a abertura das negociações para um acordo veterinário e fitossanitário. O documento "será bom para aumentar a confiança entre as partes", disse. "Se tivermos abordagem produtiva, podemos resolver os problemas de ambos os lados. O importante é a reciprocidade", completou.

A ministra defendeu as exportações da carne brasileira, especialmente suína e bovina. Ela lembrou que nesta semana a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheceu Santa Catarina e Rio Grande do Sul como zonas livres da peste suína clássica. Segundo Kátia Abreu, em breve os estados do Amapá, Amazonas e Roraima deverão ser certificados como livres de febre aftosa com vacinação.

A ministra ainda assegurou que dará prioridade ao exame da agenda apresentada pela União Europeia em relação às questões sanitárias. O Mapa avaliará o pleito europeu de ser reconhecido como "unidade única" para os processos de auditoria pelo serviço de defesa agropecuária do Brasil.

O comissário foi convidado a visitar a ministra em seu gabinete, em sua viagem ao Brasil em setembro.
Fonte: