Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

05/06/2015

Área irrigada no Brasil pode crescer até dez vezes, segundo pesquisa


O Brasil tem potencial para expandir em até dez vezes o tamanho da área irrigada destinada para agricultura. Conforme estudo encomendado pelo Ministério da Integração Nacional, o País pode chegar a 61 milhões de hectares de área irrigada. Hoje, apenas seis milhões de hectares contam com o recurso hídrico em áreas de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia e Goiás.

A expansão da área irrigada pode ocorrer especialmente na região Centro-Oeste. O sistema, porém, pode ser adotado desde que haja demanda interna e externa pela produção de alimentos e matérias-primas, indicou a pesquisa.

O estudo denominado "Análise Territorial para o Desenvolvimento da Agricultura Irrigada" levou em conta as áreas já irrigadas e aquelas com potencial para expansão por meio da combinação de variáveis como aptidão agrícola, disponibilidade hídrica, preservação ambiental, infraestrutura existentes. As características socioeconômicas do meio rural no País também foram analisadas.

Para a secretária Nacional de Irrigação, Adriana Alves, o trabalho apresenta uma nova metodologia para formulação e monitoramento do setor identificando as estratégias específicas para potencializar o desenvolvimento da irrigação em cada região. 

"É evidente a oportunidade que a agricultura irrigada proporciona, sobretudo para as regiões onde há escassez hídrica. Além de diversificar as culturas e a produção de alimentos, a tecnologia irrigada atua diretamente no contexto do desenvolvimento regional. Diante disso, o Ministério vem avançando em suas parcerias para consolidar o uso dessa técnica no Brasil. Este é o pontapé inicial para a elaboração do Plano Nacional de Irrigação, previsto na Política Nacional de Irrigação", destaca.

O estudo foi elaborado pelo Ministério da Integração Nacional em parceria com a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).
Fonte: