Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

10/06/2015

Início da semana na avicultura é marcado por novas altas do frango vivo


Novas altas registradas na segunda-feira (8), tanto em São Paulo como em Minas Gerais, dão a exata medida do nível de disponibilidade de frangos para o abate no mercado independente: ajustado, aparentemente aquém da demanda existente no momento. E isso, tudo indica, não está relacionado apenas ao período do mês, época de pagamento dos salários.

Quem produz frangos para comercialização no “spot” dificilmente encontra nas segundas-feiras dia propício para negociações. Pois quem compra, reserva o início do período para uma avaliação do próprio mercado.

Mas o simples fato de, nesta segunda, o mercado paulista ter operado com nova e consecutiva alta de cinco centavos, enquanto o mercado mineiro obtinha outro acréscimo de 10 centavos mostra que o abastecimento é escasso. Eventualmente, até, deficitário para o nível de procura ora registrado.

Para boa parte dos analistas e players do mercado o período do mês (época de pagamento dos salários) é que determina essas altas. Tal comportamento, entretanto, não foi observado em nenhum dos cinco meses anteriores de 2015 (quando, aliás, os salários valiam mais que atualmente). Portanto, são outros os fatores que vêm impulsionando a recuperação de preços do frango vivo.

Recuperação, por sinal, é a palavra-chave. Pois ainda que tenha conseguido retornar ao preço de abertura do corrente exercício (R$2,35/kg), o frango vivo comercializado no interior paulista permanece com um valor médio anual (1º de janeiro a 8 de junho) 2,5% menor que o dos mesmos 159 dias de 2014. Ou, retrocedendo um pouco mais no tempo, vale (nominalmente) cerca de 6% menos que em idêntico período de 2013.

Coincidentemente, o frango vivo de Minas Gerais também retorna ao mesmo valor inicial de 2015 – R$2,30/kg. E embora alcance, no ano, valor médio 2,19% superior ao do mesmo período de 2014, também continua enfrentando perda de quase 6% em relação a idêntico período de 2013.

A propósito, mesmo em franca recuperação, a cotação ora vigente em Minas Gerais é perto de um quarto menor que a praticada por quase três semanas, entre janeiro e fevereiro de 2013. Naquela ocasião, o frango vivo mineiro atingiu a marca dos R$3,05/kg. Alguém ainda se lembra disso?
Fonte: