Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

15/06/2015

CNA propõe ao governo criar Plano para o Desenvolvimento do Semiárido Nordestino


A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) entregou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) proposta para a criação de um Plano de Desenvolvimento para a região Nordeste, com objetivo específico de mudar a orientação oficial da política agrícola aos estados nordestinos, de forma a atender às necessidades específicas do produtor, melhorando a renda e o acesso ao crédito. O documento, denominado “Contribuição do Sistema CNA/SENAR para Reinserção Produtiva e Econômicos dos Estabelecimentos Rurais no Semiárido”, está em análise no Palácio do Planalto.

O presidente da Comissão da Região Nordeste, da CNA, José Álvares Vieira, que preside a Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (FAERN), um dos mentores da proposta, destaca que entre as reivindicações apresentadas ao Governo está a necessidade urgente “de políticas agrícolas diferenciadas para a região do semiárido, de forma permanente e sustentável, como pressuposto para a melhoria da renda e ascensão social do agricultor nordestino”. O trabalho contou com a colaboração de todas as federações de agricultura e pecuária do Nordeste, num esforço conjunto para modernizar o processo produtivo de uma região tão castigada por períodos de longa estiagem.

Semiárido é a prioridade - O ponto estratégico da proposta da CNA está na criação de um Plano de Safra específico para o Semiárido, criando em conjunto a Câmara Temática do segmento, onde questões como crédito rural, financiamento e seguro agrícola, dentre outras questões prioritárias, sejam debatidas. A ideia, segundo José Álvares Vieira, é realização de estudos que sejam capazes de permitir a identificação dos grandes problemas enfrentados pela agropecuária nordestina relacionados com infraestrutura, produção, educação, ciência e tecnologia e, também, inovação. Outra questão importante é a criação de um Plano de Gestão de Riscos e Respostas à Seca e Estiagens Prolongadas.

Nesse contexto, a proposta da CNA sugere ações prioritárias nas seguintes áreas: Crédito Rural (Programa de Apoio ao Médio Produtor Rural, um Pronamp para o Semiárido); Financiamento das Atividades Pecuárias; Reserva Estratégica de Alimentação Animal; Reserva Estratégica de Água, Irrigação, Empreendedorismo e Renda; Seguro Agrícola; Defesa Sanitária; Comercialização, Abastecimento e Armazenagem; Capacitação e Eletrificação Rural.

O plano para o desenvolvimento agrícola do Nordeste foi debatido, no final do mês passado, pela Comissão da Região, com a presença dos presidentes das federações do Maranhão, José Hilton Coelho de Souza; Ceará Flávio Viriato de Saboya Neto; da Paraíba, Mário Antônio Borba; de Sergipe, Ivan Apóstolo Sobral; e do vice-presidente da federação de Alagoas, Francisco Edilson Maia e membros da Comissão. O assessor técnico da CNA, Jonas Jochims, também participou das discussões sobre questões estratégicas do referido plano.

 

Fonte: