Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

19/06/2015

PR: produtores rurais devem eliminar plantas vivas de soja durante vazio sanitário


A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) está desde segunda-feira (15) fiscalizando propriedades rurais em determinação à medida sanitária para o controle da ferrugem asiática, período em que é proibida a presença de plantas vivas de soja. A medida vale de 15 de junho a 15 de setembro.

O vazio sanitário foi instituído pela Resolução 120, de 2007 e substituído pela Portaria da Adapar nº 109, de 17 de junho de 2015, tem como objetivo eliminar a presença do fungo causador da ferrugem asiática, doença que ataca a cultura e causa sérios prejuízos econômicos aos produtores.

A engenheira agrônoma Maria Celeste Marcondes, fiscal de defesa agropecuária da Adapar, explica que essa medida é necessária para eliminação do fungo, que não tendo as plantas hospedeiras (soja) para sua sobrevivência, sejam eliminados, evitando os focos no cultivo da safra normal, semeada a partir de setembro.

Caso constatada a presença de plantas vivas de soja em propriedades, às margens de rodovias e ferrovias, estradas municipais, estaduais e federais, o responsável será autuado, podendo sofrer as sanções previstas em legislação (advertência, multa, entre outras), dependendo dos atenuantes e agravantes. A autuação confere ao responsável 15 dias para apresentar defesa e eliminar as plantas, o que pode se tornar uma atenuante.

A Adapar conta com a contribuição dos Conselhos Municipais de Sanidade Agropecuária (CSAs) e da assistência técnica, que alertam e orientam produtores sobre a importância de cumprir o vazio sanitário.

É uma medida sanitária de interesse dos produtores no manejo da ferrugem asiática da soja. As ações de fiscalização imputadas são necessárias para que se mantenha a condição de produção de forma sustentável. Essa medida é também adotada em outros dez estados produtores de soja (Tocantins, Maranhão, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina). O Paraguai, país vizinho ao estado do Paraná, também adota a medida.

Em 2014 a Adapar emitiu aproximadamente 300 autos de infração, a partir de ações de fiscalização.
Fonte: