Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

02/07/2015

Câmara setorial avalia situação do mercado de biodiesel


As estimativas sobre produção, processamento e exportação de óleo de soja nos cinco primeiros meses deste ano e a demanda para a produção de biodiesel nesse período foram apresentadas à Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel.

A apresentação dos dados foi feita pelo assessor econômico da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Leonardo Zilio, e pelo representante do Ministério de Minas e Energia (MME), Ricardo Gomide, durante a 23ª reunião da câmara setorial, realizada no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O principal formador global de óleo de soja, segundo a Abiove, é a Argentina (47%), seguido do Brasil (11%) e dos Estados Unidos (9%). “A atual demanda no Brasil é de 2,7 milhões de toneladas de óleo de soja destinadas ao biodiesel. Em 2014, a soja representou 75% da produção de biodiesel. Atualmente, o cenário mais provável para participação do óleo de soja na produção de biodiesel é de 77% a 79%”, assinalou Zilio.

Mistura

Após seis meses de estudos, em 12 países dos cinco continentes, o grupo de trabalho formado para analisar 57 trabalhos disponíveis em vários lugares do mundo apresentou à câmara setorial os principais aspectos registrados no impacto do uso do biodiesel no Brasil e no mundo.

“Foi uma primeira oportunidade para o governo e o setor privado analisarem juntos o caminho a ser seguido”, disse o coordenador-geral de Agroenergia do Mapa, João Abreu.

Consumo, emissões de biodiesel, partida a frio, potência, desempenho e durabilidade do motor foram itens avaliados nos estudos. “De modo geral, os estudos não registram impactos negativos significativos no uso de misturas de biodiesel ao diesel fóssil sobre a potência e o desempenho dos motores”, observou Zilio.

O próximo passo será a formação de um grupo de trabalho dentro da câmara setorial, que fará reuniões mensais para monitoramento de oferta e demanda da matéria-prima necessária à produção de biodiesel.

Um novo encontro será marcado para a apresentação final do resumo de estudos sobre os impactos do uso do biodiesel nos motores e no meio ambiente.

A reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel ocorreu nessa terça-feira (30).

 

Fonte: