Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

02/07/2015

Governo libera recurso do seguro rural de 2014 e 2015


Os recursos necessários para o pagamento das pendências do seguro rural 2014 e para cumprir o orçamento do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) para este ano foram liberados pelo Ministério da Fazenda. Com isso, serão pagas as apólices contratadas no ano passado e os produtores podem se programar para a contratação, entre julho e novembro deste ano.

Em relação às pendências de 2014, o governo federal liberou R$ 390 milhões. Essa quantia permitiu equacionar os débitos com as seguradoras.

Para esse ano, o cronograma de distribuição de recursos do seguro rural está acertado, o que permite que os produtores e seguradoras se organizem para a contratação, entre julho e novembro. O Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural (CGSR), irá distribuir R$ 368 milhões previstos no orçamento do PSR para este ano.

O cronograma confirma a liberação, em julho, de R$ 60 milhões para o milho safrinha, reivindicação do setor. Na semana passada, em evento em Curitiba com a presença da ministra Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, o presidente da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), João Paulo Koslovski, cobrou uma ação, pois os produtores paranaenses temiam não receber o dinheiro, devido às restrições e cortes nas despesas do governo. Na ocasião, a ministra disse que o seguro “já estava rodando.”

O calendário para a contratação do seguro agrícola prevê, para o mês de agosto, R$ 60 milhões para a soja. Para outras culturas, como arroz, feijão e café, estão destinados R$ 26,080 milhões. Para setembro, R$ 40 milhões são para a soja e R$ 20 milhões para culturas como pêssego, tomate e atividade pecuária, entre outras. Em outubro, estão previstos R$ 25 milhões para a uva e R$ 35 milhões para a maçã. E finalmente, em novembro, R$ 10 milhões são para o milho 2º safra.

Trigo

Em maio, o comitê liberou R$ 90 milhões para cultura do trigo e R$ 2 milhões para outros cereais de inverno, como aveia, canola, centeio, cevada e triticale, que já foi totalmente utilizado.
Fonte: