Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

06/07/2015

Soja: com alta em Chicago, vendas para 2015/16 saltam para 17%


Após um início de mês calmo, Chicago deixou a segunda quinzena de junho agitada no mercado brasileiro da soja. As cotações voltaram a trabalhar em alta e, com o dólar operando acima de R$ 3, muitos produtores aproveitaram o momento para comercializar a safra 2015/16. Conforme a consultoria AgRural, até o final do mês de junho, 17% da estimativa para o novo ciclo estavam vendidos, contra 6% um mês antes e 3% um ano atrás. As vendas da safra 2014/15 também evoluíram, passando de 68% para 77%, mas, continuam atrás dos 81% do ano passado.

O Centro-Oeste segue à frente nas vendas para 2015/16, com 21%. Já a safra 2014/15 está 85% comercializada na região. Em Mato Grosso, a saca para fev/16 chegou a ser negociada por R$ 58 em Sorriso, R$ 6,70 acima do preço médio de maio. Em Campo Verde, a mercadoria para entrega em fev/16 e pagamento em mai/16 saiu por R$ 60,50.

Em Goiás, a saca para fev/16, que chegou a valer R$ 56 no pior momento de maio, foi negociada por R$ 63 com pagamento em abr/16. Após um longo período sem vendas em dólar, lotes saíram por US$ 19. Em Dourados (MS), a soja que foi negociada por R$ 58 em maio trocou de mãos por R$ 61 na última semana de junho.

Nas regiões Sul e Sudeste, 14% da próxima safra está negociada, enquanto as vendas do ciclo 2014/15 chegaram a 63% e 82%, respectivamente. No oeste do Paraná, bons volumes foram vendidos por R$ 68 para fev/16. Em maio, o preço médio havia ficado em R$ 63,80. Em Cornélio Procópio, no norte, volumes para fev-mar/16 saíram por R$ 67. No interior do Rio Grande do Sul, lotes com entrega em abr/16 rodaram por R$ 70. No Triângulo Mineiro, negócios para fev-mar/16 foram feitos por R$ 65. No sul de São Paulo, a saca para mar-abr/16 saiu a R$ 66.

Apesar da incerteza quanto aos custos da nova safra, os preços do final de junho foram considerados remuneradores pelos produtores do Norte/Nordeste, e as vendas 2015/16 saltaram de 2% para 17% em um mês. No disponível, a comercialização chegou a 83%. Em Balsas (MA), lotes para abr-mai/16 saíram por R$ 63,00. No oeste baiano, a saca foi negociada por R$ 65,50 no último dia de junho.

 

Fonte: