Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

31/08/2015

Colheita do milho encerra em Mato Grosso com preço de até R$ 19,15


Após 14 semanas a colheita do milho em Mato Grosso chegou ao fim. A média de preço em agosto no Estado ficou em R$ 15,83, valor 34,3% superior aos R$ 11,78 do mês em 2014. Os preços na sexta-feira variaram de R$ 14,20 em Nova Ubiratã e R$ 19,15 em Alto Araguaia.

As regiões Nordeste, Oeste e Sudeste de Mato Grosso possuíam no dia 25 de agosto pouco mais de 99,4% de suas respectivas áreas para colher, de acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Até a data a região Nordeste já havia colhido 99,76%, o Oeste 99,95% e o Sudeste 99,43%.

Mato Grosso semeou 3,306 milhões de hectares de milho na 2ª safra 2014/2015. A produtividade média do estado ficou em 106,70 sacas por hectare, variando entre 90,66 sacas na região Norte e 113,33 sacas na região Oeste. A produtividade da safra 2013/2014 ficou na ocasião em 91,60 sacas por hectare.

As perspectivas são de que Mato Grosso tenha colhido 20,946 milhões de toneladas de milho na 2ª safra 2014/2015.

Em seu boletim semanal, publicado no dia 24 de agosto, o Imea destacou que a produtividade ponderada de 106,70 sacas por hectare nesta safra foi “favorecida por fatores positivos que permearam a atual temporada, esta será a melhor produtividade da história, fato que impulsionou a produção estadual”.

Quanto à questão preço e venda o Imea salientou que “Mesmo com alguns eventos que causaram variações significativas nas cotações da CBOT, os preços no mercado interno se encontram em patamares mais elevados para negociação se comparados aos das últimas safras. Apesar de o ‘casamento’ preços maiores e colheita praticamente finalizada estimular negócios no mercado disponível, as negociações que estão ocorrendo são pontuais. Com os armazéns cheios e grande parte de suas metas de compras atingidas, as trades agora ‘seguram’ as compras no mercado disponível para entrega imediata, e se concentram na maior problemática atual, que é escoar o milho que já foi comprado”.

 

Fonte: