Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

10/09/2015

Avicultura da América Latina define estratégia contra Influenza Aviária


Após uma série de reuniões realizadas em Guayaquil (Equador) desde o início da semana, lideranças dos países produtores avícolas da América Latina estabeleceram estratégias e uma série de iniciativas para combater e evitar a ocorrência de focos de Influenza Aviária no continente.  A iniciativa, que contou com propostas da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), foi coordenada no âmbito da Associação Latinoamericana de Avicultura (ALA).

A iniciativa contempla diversas ações como a criação de fundos e de planos de contingência em todos os países do bloco, e o estabelecimento de uma série de medidas de biosseguridade.  Um grupo de trabalho foi criado com o objetivo de propor ações preventivas específicas para cada polo produtivo.

“Na América Latina estão alguns dos maiores produtores, exportadores e consumidores mundiais de produtos avícolas, que geram não apenas riquezas, mas segurança alimentar para a população latinoamericana.  Neste contexto, há grande preocupação quanto à ocorrência de focos de Influenza Aviária, o que motivou o estabelecimento desta ação coordenada”, destaca Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA e vice-presidente da ALA.

O fornecimento de material genético avícola também esteve na pauta do encontro.   Durante a reunião, produtores destacaram a necessidade de estabelecerem fornecedores em polos alternativos, que não tenham sido atingidos por Influenza.

“O Brasil basicamente abastece a América do Sul com material genético avícola.  Estamos buscando consolidar acordos sanitários também com os países da América Central para que nosso setor seja um fornecedor alternativo a todo o continente, especialmente em tempos de crise sanitária”, destaca Ariel Mendes, diretor de produção da ABPA.

A ação envolverá, ainda, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e o Comitê Veterinário Permanente (CVP), para a realização de análises de risco e simulados.

 

Fonte: