Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

23/09/2015

Rússia se interessa por plano que prevê ferrovias em Mato Grosso


Russos se interessaram pelo Plano de Investimento em Logística de Ferrovias que vem sendo implementando pelo governo federal, também com trilhos previstos para Mato Grosso. O anúncio foi feito pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), depois da viagem do diretor da autarquia, Jorge Bastos, à Ásia, onde se reuniu com representantes da empresa RZD – Companhia Ferroviária da Rússia –, uma das maiores do mundo. Detalhes não foram dados, contudo desdobramentos devem ser conhecidos nos próximos meses.

No plano do governo, há intenção para concessão 950 quilômetros de Sinop a Miritituba (PA). Entidades do agronegócio, com a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), têm defendido a construção de ferrovia para escoar parte da produção de soja, milho, algodão, carne e madeira do Médio Norte. O ex-presidente Glauber Silveira já chegou a declarar que os estudos apontam investimentos de R$ 6 bilhões e com o potencial de escoar 30 milhões de toneladas até 2020.

Está em estudo também a ferrovia Transoceânica, com previsão de formar um corredor de escoamento entre os oceanos Atlântico e Pacífico, com expectativa de terminal em Lucas do Rio Verde. Ela partiria do Peru, passando pelo Acre, Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Rio de Janeiro, em mais de 4 mil quilômetros. São estimados pelo menos R$ 30 bilhões em investimentos para agilizar o escoamento da produção agrícola, principalmente a mato-grossense.

Essa ferrovia já chamou atenção também de investidores indianos, que recentemente visitaram Rondônia, por onde devem seguir os trilhos saindo de terras mato-grossenses. Eles vêm trabalhando com a construção de um laço comercial com o Brasil, na produção agrícola de produtos como soja, milho, cacau, café e madeira do tipo teca.

Em ambos os casos, o governo prevê concessão de 30 anos com retorno de investimentos pelos empreendedores.

 

Fonte: