Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

28/09/2015

PR: Plantio das lavouras de verão avança e produtores antecipam venda da soja


O plantio das lavouras de grãos de verão da safra 2015/16 avança no Paraná. A estimativa do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, aponta para uma colheita de 22,3 milhões de toneladas, com destaque para nova safra recorde de soja de quase 18 milhões de toneladas.

A soja mal começou a ser plantada e os agricultores paranaenses já venderam 28% da safra prevista. Há um ano, apenas 5% estavam comercializados. O cenário positivo é reflexo do câmbio do dólar: o produto brasileiro ficou bem mais atraente aos compradores. Além do câmbio, a comercialização foi beneficiada com um aumento de 10% no preço da soja em reais.

A safra total de 2015 está quase no fim, com metade do trigo já colhido. O volume de grãos está atingindo recorde de 38,3 milhões de toneladas, 7% a mais que na safra total anterior.

Soja

A expectativa de recorde na soja é animadora para os produtores, de acordo com o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norbeto Ortigara. A soja é o grão que apresenta maior liquidez, considerando a influência do mercado internacional nas cotações da commoditie, e menor risco em relação às variações de clima na comparação com o milho, segundo grão mais plantado no Estado na safra de verão. “Vamos torcer para que o El Niño colabore e tudo corra bem para concretização do plantio e uma boa colheita”, diz Ortigara.

O diretor do Deral, Francisco Carlos Simioni, ressalta que, embora o clima seja de euforia para as exportações das principais commodities, é preciso ficar atento às movimentações do mercado. “É importante que os produtores façam um planejamento para comercialização da próxima safra e aproveitem os momentos de alta para obter boa rentabilidade média”, orientou.

Segundo Simioni, é importante olhar para o que ocorre no mundo, que tenta dimensionar quais serão os efeitos da queda no crescimento econômico, e para a demanda da China, nossa maior importadora.

Venda antecipada

A soja mal começou a ser plantada no Paraná e os agricultores já venderam 28% da safra prevista. Há um ano, apenas 5% estavam comercializados. Nos últimos três anos, a venda antecipada de soja em início de plantio foi de 18%.

O cenário positivo é reflexo do câmbio do dólar: o produto brasileiro ficou bem mais atraente aos compradores. “Eles estão levando mais soja com menos dólares”, disse o economista Marcelo Garrido, chefe da Conjuntura Agropecuária do Deral.

Além do câmbio, a comercialização da soja foi beneficiada com um aumento de 10% no preço. Em agosto, a saca de soja foi vendida, em média, a R$ 63,30. Neste mês de setembro, chega a R$ 70,00, reflexo do aumento da demanda pelo produto.

O plantio de soja da safra 2015/16 já avançou 5% sobre a estimativa de área, que cresceu um pouco mais e a cultura deverá ocupar 5,2 milhões de hectares, mais de 86% da área agricultável no Estado. A produção prevista é de 17,97 milhões de toneladas, 6% acima da safra passada, de 16,95 milhões de toneladas.

O Deral confirma as expectativas de área e produção recorde para a soja 15/16 e as máquinas já estão em campo, principalmente no Oeste e Centro-Oeste, nas regiões de Campo Mourão, Cascavel e Toledo, que historicamente plantam mais cedo.

Segundo Garrido, a expectativa de chuvas em todo o Estado neste fim de semana restabelece a regularidade necessária para a continuidade do plantio da soja.

Milho

A expectativa de aumento nas exportações também beneficia o milho, que nesta primeira safra ocupa a menor área plantada da história. A área é 18% inferior a do mesmo período de 2014, quando o plantio ocupou 542.310 hectares. Cerca de 40% da área, que deverá atingir 443.911 hectares, já foi plantada.

A previsão de produção de milho da primeira safra 15/16 é de 3,8 milhões de toneladas. Com esse volume, a primeira safra de milho deixa de ser, definitivamente, a principal. O posto passou a ser ocupado pelo milho safrinha, que está com 98% da safra colhida. A colheita de milho safrinha deverá bater recorde, com 11,3 milhões de toneladas.

Segundo Edmar Gervásio, técnico do Deral, no momento a situação das lavouras é boa, com a expectativa da ocorrência de chuvas para acelerar o plantio. Ele conta que há muitas regiões com umidade do ar baixa e temperaturas altas, o que prejudica o plantio. Porém, a previsão de primavera e verão chuvosos preocupa, pois pode prejudicar o desenvolvimento da safra.

O cenário econômico, com dólar valorizado, também beneficia o milho, que é uma commodity, portanto com preços ditados pela bolsa de Chicago (EUA). Em um mês, as cotações avançaram 16,3%, passando de R$ 20,89 a saca em agosto para R$ 24,30 em setembro.

A valorização é motivada tanto pela demanda interna, aquecida por causa do crescimento das cadeias de suínos e aves, como pela elevação do câmbio, explicou Gervásio. O atendimento ao mercado interno gerou expectativa de redução da oferta e o preço aumentou.

Mesmo atendendo o mercado interno, o Paraná espera elevar as exportações do milho de 3 milhões de toneladas, em 2014, para 3,5 milhões de toneladas, neste ano. O principal mercado do milho paranaense está na Ásia e Oriente Médio - especificamente no Vietnã, Japão e Irã. O Brasil inteiro deverá exportar 30 milhões de toneladas de milho neste ano.

 

Fonte: