Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

13/10/2015

MT: ciclo de novo recorde


Mato Grosso será, pelo quinto ano consecutivo, o maior produtor nacional de grãos e fibras e estará novamente superando seus próprios recordes. Como apontam dados divulgados na última sexta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), por meio do primeiro levantamento da safra 2015/16, o Estado deverá ofertar 52,48 milhões de toneladas (t), volume que ultrapassa em 1,7% o recorde anterior de 51,62 milhões t da safra 2014/15. Se a estimativa se confirmar, Mato Grosso manterá também a participação de cerca de 25% do suprimento agrícola do país. A soja segue sustentando a pujança do agronegócio mato-grossense, e mais uma vez será responsável por quase um terço da produção brasileira.

Mesmo com uma projeção da área técnica da Conab de uma retração de cerca de 0,2% na produtividade mato-grossense, o avanço espacial, deverá compensar a perda de rendimento. A projeção é que a área plantada no Estado passe de 13,56 milhões de hectares (ha) para até 13,83 milhões ha, evolução que representa um avanço anual de 2%. Apesar das incertezas econômicas e da volatilidade da taxa de câmbio, a expansão da safra mato-grossense se dá em razão de que o planejamento, feito ainda no primeiro trimestre desse ano, não contemplava as mudanças no cenário nacional. As alterações, incertezas e majorações sobre o custo de produção farão diferença na tomada de decisão do ciclo 2016/17.

Na sojicultura, Mato Grosso deverá contabilizar até 29,22 milhões t neste novo. Se a estimativa da Companhia se confirmar, eles vão superar em 4,3% a safra anterior, que fechou com saldo 28,01 milhões t. Em relação à área plantada, a expansão pode atingir 2,9%, ao passar de 8,93 milhões ha para até 9,19 milhões. Já a produtividade esperada é 1,4% maior a contabilizada em 2014/15, de 3.136/kg/ha para 3.179/kg/ha.

Para a segunda safra do milho, na qual o Estado oferta a maior produção nacional do cereal, a Conab projeta recuo de 1,8% em relação as mais de 20,30 milhões de t recém-colhidas na última safrinha. Esse primeiro levantamento aponta para 19,92 milhões de t, toneladas, manutenção da área em 3,35 milhões ha e retração de 1,8% na produtividade, 6.056/kg/ha para 5.944/kg/ha.

Ao contrário das primeiras projeções para a safra passada, para o ciclo 2015/16, a pluma mato-grossense inicia com estimativas positivas. A projeção é passar 870 mil toneladas para até 902,7 mil toneladas, o que se confirmado, implicará em uma expansão anual de 3,8% sobre a produção, enquanto a área plantada será acrescida em 3%, saindo de 562,7 mil ha para até 579,6 mil ha.

Brasil

O Brasil também tem perspectiva de recorde no campo. Segundo a Conab, o país pode produzir até 213,5 milhões de t de grãos, superando as 209 milhões do período 2014/2015.

“O carro-chefe da lavoura continua sendo a soja, que pela primeira vez ultrapassará os 100 milhões de toneladas. É a grande surpresa desta safra”, destacou o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, João Marcelo Intini. A produção na safra que começou recentemente poderá alcançar até 102 milhões de toneladas da oleaginosa.

A expectativa é de uma safra expressiva, reforçou o presidente em exercício da estatal, Lineu Olímpio de Souza. “Não haverá, entretanto, aumento significativo de área, que deverá ficar em torno de 59 milhões de hectares”, acrescentou. Com isso, o incremento da área plantada pode atingir até 1,5% sobre a safra passada, de 58,1 milhões de toneladas.

 

Fonte: