Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

04/12/2015

Apesar da chuva no bimestre, Paranaguá aumenta em 9,9% escoamento de grãos


O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá registrou um total de 2,07 milhões de toneladas exportadas nos meses de outubro e novembro, um volume 9,9% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. O resultado foi alcançado apesar do clima: dos 60 dias de outubro e novembro, 30 dias apresentaram chuva, o que representa três vezes mais do que o ano passado.

O secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, lembrou que o Governo investe pesado na modernização do Porto de Paranaguá para aumentar a produtividade. “Já aplicamos R$ 511 milhões em novos equipamentos e novas modelagens logísticas para carregar mais rápido nos períodos sem chuva. Ou seja, não podemos controlar a chuva, mas estamos trabalhando mais e melhor nos dias sem chuva”, explicou Richa Filho.

A chuva ou garoa impossibilita o embarque de grãos pelo Porto de Paranaguá. Como a operação deste tipo de mercadoria é feita a céu aberto, a qualquer indício de precipitação, o escoamento tem que ser interrompido. “O volume de embarque feito no período mostra que a nossa produtividade aumentou consideravelmente”, afirmou o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino. “Com muito menos dias de operação, conseguimos dar vazão a mais carga do que ano passado. Estamos otimizando o nosso escoamento dentro do possível”,

Balanço do ano

No acumulado do ano, de janeiro a novembro, o porto precisou paralisar suas operações em 98 dias, 47% a mais do que no ano passado, quando ficou parado em 67 dias. Mesmo assim, o Corredor de Exportação já embarcou 14,9 milhões de toneladas em 2015, 8% a mais do que o registrado de janeiro a novembro do ano passado. “Temos carga represada para bater o recorde histórico do complexo e superar as 16 milhões de toneladas. Dependemos, apenas, de mais dias de sol”, completa Dividino.

Até o momento, no ano, foram embarcadas 7,4 milhões de toneladas de soja, o que significa um aumento de 15% em relação ao ano passado, e 2,8 milhões de toneladas de milho, representando um crescimento de 6,7%.

Para dezembro, o porto já tem nos terminais carga suficiente para carregar os 18 navios do Line-Up e, à espera de carregamento no campo, grãos para carregar os outros 22 navios que aguardam ao largo da baía de Paranaguá.

Clima

De acordo com o levantamento do Instituto das Aguas do Paraná, a precipitação acumulada em 2015 teve uma média mensal 74% superior a 2014. Ou seja, além de ter mais dias de chuva neste ano, a intensidade das precipitações também foi maior. Com chuvas mais fortes e frequentes, a operação leva mais tempo para retomar os embarques de grãos, já que a umidade do ar se mantém elevada.

Investimentos

Os ganhos de produção, apesar do aumento nos dias de chuva, foram possíveis pelos recentes investimentos realizados para dar mais produtividade ao porto. No mês passado, foi inaugurado o terceiro novo shiploader do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. Os três novos equipamentos conseguem dar uma vazão 33% superior ao embarque de grãos, se comparados com os carregadores antigos que foram substituídos. Até o final do ano, um quarto shiploader deve entrar em funcionamento, completando o investimento de R$ 59,4 milhões.

 

Fonte: