Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

03/02/2016

Pré-custeio vira realidade em 2016

A superintendência regional do Banco do Brasil em Mato Grosso confirmou que desde esta última segunda-feira deu início ao processo de recepção dos pedidos de pré-custeio dos produtores rurais do Estado para a safra 2016/17. A instituição está disponibilizando para todo o país nessa temporada R$ 10 bilhões em recursos controlados, volume que supera em 22% a oferta anterior. Os recursos que passarão a ser liberados a partir dessa semana são oriundos das captações próprias da poupança rural e dos depósitos à vista. Hoje, a partir das 9h, a superintendência local reunirá lideranças do agronegócio em Mato Grosso para apresentar detalhes do ‘Custeio Antecipado’.


Como explicou na semana passada o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja/MT), Endrigo Dalcin, em razão da forte elevação de custos de produção e da ausência da liberação do pré-custeio em 2015, havia muita expectativa pela oferta dos recursos já a partir de fevereiro. “Quanto mais antecipado esse dinheiro chegar, mais poder de barganha proporciona ao produtor que já inicia suas compras e antecipa seu planejamento”.

Um dos fatores apontados pelo segmento que contribuíram para a alta do custo de produção da safra de soja 2015/16, que começa a ser colhida no Estado, foi justamente a ausência do pré-custeio, o que levou muitos produtores a procurarem ao mesmo tempo o mercado e fazendo isso muito próximo do momento do plantio, já no segundo semestre de 2015. “Além da lei da oferta e procura que por si só inflou as cotações dos insumos, quem comprou nessa época pegou um dólar mais caro”, lembra Dalcin.

Como explica a superintendência do Banco do Brasil em Mato Grosso, os recursos estão disponíveis aos médios produtores por meio do Programa Nacional de Apoio aos Médios Produtores Rurais (Pronamp) com taxas de 7,75% ao ano (a.a.), até o teto de R$ 710 mil. Os demais produtores rurais acessam o crédito com encargos de 8,75% a.a., até o teto de R$ 1,2 milhão por beneficiário.

“O Banco também dispõe de recursos livres, sem limitação de teto por beneficiário, para àqueles produtores que já tenham utilizado o teto de recursos controlados”, reforça a instituição.

A antecipação dos financiamentos de custeio permite melhores condições aos produtores para o planejamento de suas compras junto aos fornecedores e contribui para o incremento das vendas de sementes, fertilizantes e defensivos, produzindo reflexos positivos na cadeia produtiva para as culturas de cana-de-açúcar, milho, soja, laranja, café, arroz e algodão.​

Fonte: