Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

10/02/2016

Colheita do feijão e do milho no RS tem boas perspectivas para os agricultores

A qualidade do feijão colhido tem deixado os produtores do Rio Grande do Sul satisfeitos, de acordo com o Informativo Conjuntural da Emater/RS-Ascar. Com boa parte da safra já colhida, ultrapassando os 62% de área, os agricultores na maioria das regiões (com exceção do Alto da Serra do Botucaraí, Vale do Rio Pardo e Médio Alto Uruguai) obtêm bons resultados com a produtividade média obtida até o momento, que gira em torno de 1.400 kg por hectare, inicialmente projetado para esta safra. Faltando algumas áreas a serem colhidas nas regiões produtoras e em toda área semeada no tarde (Serra), a tendência é de uma boa primeira safra.

Já o feijão da safrinha ou segunda safra do estado foi plantado com pequena dificuldade na segunda quinzena de janeiro, devido à falta de umidade em algumas regiões. Com as precipitações das últimas semanas, reiniciou o preparo de áreas e o plantio, ainda com a expectativa em algumas regiões de ampliar a área com feijão safrinha. Essas lavouras tradicionalmente são destinadas para o consumo da própria família e venda do excedente, assim como para reserva de sementes em pequenas propriedades familiares.

No milho, a colheita segue em ritmo acelerado, chegando aos 30% do total da área semeada nesta safra. Como vem ocorrendo desde o início, os rendimentos obtidos até o momento surpreendem os produtores de forma positiva, pois há casos que superam os 10 mil kg de milho por hectare. O clima de verão verificado desde o início da safra, com chuvas regulares e temperaturas elevadas, tem sido benéfico às lavouras em desenvolvimento e às que estão em floração e formação de grãos. Até mesmo as lavouras plantadas fora do período recomendado, conhecidas como safrinha, apresentam bom desenvolvimento vegetativo. Para o milho destinado à produção de silagem, as produções giram ao redor de 36 toneladas de massa verde por hectare. Dos 350 mil hectares plantados para este fim, cerca de 55% já estão colhidos.

A soja está em fase final de desenvolvimento vegetativo, verificando-se que a maior parte da área total plantada está em florescimento e formação de vagens/grãos. A plantação apresenta ótimo desenvolvimento em função das condições climáticas registradas até agora. A umidade no solo tem propiciado uma boa fixação e um bom número de vagens por planta, fator determinante da produtividade final das lavouras. Nesse sentido, o regime de chuvas das próximas semanas será decisivo para a garantia de uma boa produção para o RS.

Já a cultura do arroz evoluiu de forma bastante satisfatória nos últimos dias. Sem problemas de água para a irrigação e beneficiadas pelo clima quente e a boa insolação, as lavouras apresentam padrão e potencial produtivo dentro do esperado (ao redor dos sete mil kg/ha), para uma cultura que enfrentou sérios problemas quando da sua implantação. Embora exista um significativo atraso em relação aos anos anteriores, a atual safra já registra as primeiras áreas colhidas. São lavouras plantadas muito cedo (início de setembro), na Fronteira Oeste e no Vale do Caí, que representam no conjunto menos de 1% do total semeado. 

Fonte: