Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

19/04/2016

Carne bovina: Centro-Oeste já é principal região produtora

​O Centro-Oeste já se tornou a região brasileira com maior produção de carne bovina no país, com 38,4% das exportações, ou 136.680 toneladas, nos três primeiros meses deste ano. As informações são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), compiladas pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo). No levantamento por estado, São Paulo segue sendo o que mais exporta carne bovina, com 26,3% do total do primeiro trimestre de 2016, ou 93.732 toneladas. No entanto, os paulistas vêm diminuindo gradativamente sua participação, caindo de 28,4 % (em 2014) para 27,7% em 2015 e 26,3% do total em 2016.

Segundo a Abrafrigo, os números do primeiro trimestre de 2016 mostram pequena recuperação das exportações do produto em alguns estados onde a pecuária estava em decadência acentuada. O Paraná praticamente dobrou sua movimentação, passando a ser responsável por 2,8% das exportações em 2016 contra 1,3% em 2015. Minas Gerais cresceu de 6,3% para 7,4% no mesmo período e o Pará foi de 4,3% para 6,2%. Rondônia e Rio Grande do Sul também vem apresentando crescimento nas vendas externas neste ano. Por região, quem mais cresceu foi o Norte do país que passou de 16,6% em 2015 para 20% neste início de 2016.

Quadro – Principais Estados Exportadores
Primeiro trimestre de 2016 – Fonte SECEX/ABRAFRIGO
Volume total – 356.327 toneladas

São Paulo – 93.732 toneladas 26,3% do total
Mato Grosso – 59.600 toneladas 16,7% do total
Goiás – 44.364 toneladas 12,5% do total
Rondônia – 38.783 toneladas 10,9% do total
Mato Grosso do Sul – 32.915 toneladas 9,2% do total
Minas Gerais – 26.316 toneladas 7,4% do total
Pará – 21.923 toneladas 6,2% do total
Rio Grande do Sul – 14.579 toneladas 4,1% do total
Tocantins – 10.435 toneladas 2,9 % do total
Paraná – 9.988 toneladas 2,8% do total

Por Região

Centro Oeste – 38,4% ou 136.680 toneladas
Sudeste – 34,2% ou 121.985 toneladas
Norte – 20% ou 71.142 toneladas (era 16,6% em 2015)
Sul – 7,0% ou 25.039 toneladas (era 5,6% em 2015)​

Autor:
Leonardo Gottems

Fonte: